Tirzepatida: pesquisadores relatam perda ponderal 'sem precedentes'

Marlene Busko

Notificação

21 de novembro de 2022

A perda ponderal com tirzepatida foi bastante uniforme em diferentes faixas de índice de massa corporal, de idade e de número de comorbidades relacionadas com a obesidade em pacientes com sobrepeso/obesidade e sem diabetes tipo 2.

Essas foram as principais descobertas em um estudo sobre o uso de tirzepatida no tratamento da obesidade, que atua duplamente como polipeptídeo insulinotrópico dependente de glicose (GIP, do inglês glucose-dependent insulinotropic polypeptide) e também como agonista do peptídeo-1 semelhante ao glucagon (GLP-1, do inglês glucagon-like peptide-1). Os achados são de uma pesquisa apresentada na ObesityWeek ®.

Em maio de 2022, a tirzepatida – injeção subcutânea aplicada uma vez por semana – foi aprovada pela Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos para uso no controle glicêmico de pacientes com diabetes tipo 2, baseando-se nos dados dos ensaios clínicos SURPASS.

Depois, em junho deste ano, na reunião anual da American Diabetes Association, pesquisadores relataram perda ponderal "sem precedentes" após o uso de tirzepatida em pacientes sem diabetes tipo 2, no ensaio clínico de fase 3 SURMOUNT-1.

Em outubro, a FDA dos EUA concedeu aprovação acelerada para o uso da tirzepatida como medicamento antiobesidade.

Agora, essas novas análises do SURMOUNT-1 mostraram que "independentemente do índice de massa corporal dos pacientes, da sua idade e do número de complicações relacionadas com a obesidade, houve uma clara perda ponderal proporcional à dose, e essa perda foi bastante homogênea nos vários grupos", disse o presidente da sessão, Dr. Patrick M. O'Neil, Ph.D., que não participou desta pesquisa.

"Os níveis absolutos dessas perdas ponderais são mais altos do que vimos até hoje com outros medicamentos antiobesidade", acrescentou Dr. Patrick, professor de psiquiatria e ciências comportamentais e diretor no Weight Management Center da Medical University of South Carolina nos Estados Unidos.

"A semaglutida gerou grandes resultados, e deve ir além", disse o especialista ao Medscape em uma entrevista.

"Sou psicólogo. Devemos lembrar que, em todos os casos, as aprovações da FDA são feitas para que os medicamentos sejam usados como adjuvantes das dietas e da prática de exercícios físicos", destacou.

“As pessoas não deveriam esperar que qualquer medicamento atualmente disponível tenha um efeito duradouro quando não for mais tomado”, continuou.

"Não esperamos que nenhum desses medicamentos antiobesidade cause modificações fisiológicas permanentes", acrescentou o Dr. Patrick, mas os pacientes podem "usar esse medicamento como auxiliar para realizar mudanças comportamentais duradouras, para que, quando pararem de tomar o medicamento, possam manter esses novos hábitos".

"É evidente que os medicamentos estão tendo um impacto significativo", enfatizou.

Índice de massa corporal, idade, subgrupos de comorbidade e qualidade de vida geral no SURMOUNT-1

O SURMOUNT-1 avaliou a eficácia e a segurança de 5 mg, 10 mg e 15 mg de tirzepatida aplicada por via subcutânea uma vez por semana em comparação ao placebo. O fármaco foi usado como adjuvante a uma dieta hipocalórica e ao aumento da atividade física. O estudo foi feito com 2.539 adultos sem diabetes tipo 2, com obesidade (índice de massa corporal ≥ 30 kg/m2) ou sobrepeso (índice de massa corporal ≥ 27 kg/m2) e pelo menos uma complicação relacionada com a obesidade (hipertensão arterial sistêmica, dislipidemia, apneia obstrutiva do sono ou doença cardiovascular).

Subgrupos de faixa etária

O Dr. Robert F. Kushner, médico na Escola de Medicina de Feinberg da Northwestern University nos EUA, observou que "a perda excessiva de massa magra é uma preocupação clínica nos idosos em tratamento da obesidade", por isso é importante saber se a perda ponderal com tirzepatida varia de acordo com a idade.

Os pesquisadores fizeram uma análise post-hoc em pacientes que fizeram densitometria óssea no início do estudo e na 72a semana (resumo oral 109).

As três faixas etárias usadas neste estudo foram < 50 anos (99 pacientes), ≥ 50 a < 65 anos (41 pacientes) e ≥ 65 anos (20 pacientes). Em geral, 63% dos pacientes tinham 50 anos ou menos, 31% tinham entre 50 e 65 anos e 6% tinham 65 anos de idade ou mais.

Na 72a semana, os pacientes que tomaram 5 mg, 10 mg e 15 mg de tirzepatida por semana perderam 21,5%, 20,8% e 22% do seu peso corporal inicial, respectivamente.

"A tirzepatida reduziu significativamente a massa corporal total em comparação ao placebo, independentemente dos subgrupos de idade", e "reduziu significativamente a massa gorda, a massa magra, a relação entre a massa gorda e a massa magra e a massa gorda visceral em todos os subgrupos de idade", informou o Dr. Robert.

Subgrupos de índice de massa corporal

O Dr. Louis J. Aronne, médico na Faculdade de Medicina da Weill Cornell Medicine nos EUA, apresentou resultados de uma análise pré-especificada dos subgrupos de índice de massa corporal (resumo oral 110).

Os quatro subgrupos de índice de massa corporal foram:

  • ≥ 27 a < 30 kg/m2 (sobrepeso), peso inicial médio de 80,7 kg, redução média de peso de 13,15 a 13,60 kg

  • ≥ 30 a < 35 kg/m2 (obesidade classe 1), peso inicial médio de 89,8 kg, redução média de peso de 14,9 a 19,5 kg

  • 35 a < 40 kg/m2 (obesidade classe 2), peso inicial médio de 103,4 kg, redução média de peso de 15,4 a 25,4 kg

  • 40 kg/m2 (obesidade classe 3), peso inicial médio de 127 kg, redução média de peso de 19,9 a 29,0 kg

Pacientes com índice de massa corporal inicial ≥ 35 a < 40 kg/m2 que receberam a dose de 15 mg/semana de tirzepatida tiveram a maior perda ponderal, de 24,5%, aproximadamente a perda observada após cirurgias bariátricas como a gastrectomia vertical (25%).

A proporção de pacientes que atingiram redução de peso ≥ 5% foi de aproximadamente 90% em todas as categorias de peso. "Esses dados não têm precedentes", disse Dr. Louis.

Além disso, em geral, de 73% a 90% dos pacientes que receberam as doses de 5 mg a 15 mg de tirzepatida alcançaram uma redução de peso corporal ≥ 10%, e "algo que nunca pensamos que veríamos" é que de 50% a 78% dos pacientes que receberam o medicamento perderam 15% ou mais do seu peso corporal.

Em resposta a uma pergunta do público, Dr. Louis disse que seriam necessários mais estudos para determinar quem responde bem à tirzepatida.

Em resposta a outra pergunta sobre a possibilidade de tratar os pacientes tendo como alvo um índice de massa corporal normal, ele disse: "Acho que estamos chegando lá".

Pacientes na categoria de índice de massa corporal de 27 a 30 kg/m2 perderam aproximadamente a mesma quantidade de peso com uma dose de 5 mg e com uma dose mais alta, sugerindo que eles deveriam tomar a dose mais baixa, o que provavelmente também teria menos efeitos colaterais, destacou o Dr. Louis.

Número de comorbidades

As comorbidades do SURMOUNT-1 foram hipertensão arterial sistêmica, dislipidemia, apneia obstrutiva do sono, doença cardiovascular aterosclerótica, artrose, ansiedade/depressão, síndrome do ovário policístico, esteatose hepática não alcoólica e asma/doença pulmonar obstrutiva crônica. Dos pacientes sem comorbidades, 32,6% tinham pré-diabetes (resumo oral 111).

O Dr. Sriram Machineni, médico na University of North Carolina nos EUA observou que a obesidade está associada a um risco significativamente maior de agrupamento de ≥ 2 complicações relacionadas com o quadro, mas pouco se sabe sobre como isso influencia os desfechos.

Os pacientes avaliados no SURMOUNT-1 foram classificados em três grupos de acordo com o número de comorbidades:

  • 0 comorbidade, 37% dos pacientes: média de idade inicial de 39 anos, duração média da obesidade de 12 anos, 29% homens

  • 1 comorbidade, 27% dos pacientes: média de idade inicial de 44 anos, duração média da obesidade de 14 anos, 31% homens

  • 2 ou mais comorbidades, 36% dos pacientes: média de idade inicial de 52 anos, duração média da obesidade de 17 anos, 37% homens

Independentemente do número de comorbidades, todas as doses da tirzepatida resultaram em maior redução do peso corporal em comparação ao placebo.

Qualidade de vida

O Dr. Jiat Ling Poon, da Eli Lilly, apresentou resultados de respostas dos pacientes a questionários, como o Impact of Weight on Quality of Life-Lite (IWQOL-Lite), que avalia a saúde física e psicossocial, e o Short Form-36 Health Survey, que avalia o desempenho físico, a dor no corpo, a vitalidade, o estado emocional, o estado físico, a saúde geral, o desempenho social e a saúde mental (resumo oral 112).

A tirzepatida em todas as doses resultou em melhoras significativamente maiores nos resultados descritos pelo paciente em comparação ao placebo.

Enquanto isso, a fase 3 do ensaio clínico SURMOUNT-2 com tirzepatida para perda ponderal de pacientes com diabetes tipo 2 está prevista para terminar em abril de 2023.

Os estudos foram financiados pela Eli Lilly.

ObesityWeek® 2022. Resumos orais 109-112. Apresentados em 04 de novembro de 2022.

Siga o Medscape em português no  Facebook, no Twitter e no YouTube.

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....