Terapia direcionada no tratamento do câncer renal pode estar associada a maior risco cardiovascular

Randy Dotinga

Notificação

11 de agosto de 2022

Nova pesquisa traz mais evidências da associação entre o uso de terapias direcionadas em pacientes com carcinoma de células renais avançado e o aumento do risco de eventos cardiovasculares adversos maiores (mace, sigla do inglês).

Pacientes tratados com terapia direcionada tiveram mais chances de apresentar alterações como infarto agudo do miocárdio (IAM) e acidente vascular cerebral (AVC) do que pacientes submetidos ao tratamento com citocinas (razão de risco ajustada [RRa] de 1,80; intervalo de confiança [IC] de 95% de 1,19 a 2,74), de acordo com um estudo retrospectivo realizado em Taiwan.

"Esses achados podem fornecer informações para a avaliação do risco cardiovascular durante a análise de terapias direcionadas para o tratamento oncológico de pacientes com carcinoma de células renais avançado", escreveram os autores do estudo publicado no periódico JACC: CardioOncology.

O estudo ressalta que um tipo específico de terapia direcionada (inibidores de tirosina quinase [ITQs] associados aos inibidores do receptor do fator de crescimento endotelial vascular [anti-VEGFR, do inglês vascular endothelial growth factor]) foi associado a taxas mais altas de mace (RRa de 1,38 a 22,7). Também foi relatada a associação de outro tipo de terapia direcionada, os inibidores do alvo mecanístico da rapamicina (mTOR, do inglês mechanistic target of rapamycin), os mace.

No novo estudo, o médico Dr. Dong-Yi Chen, afiliado à Universidade Chang Gung, em Taiwan, e seus colaboradores, rastrearam pacientes com carcinoma de células renais submetidos ao tratamento com terapia direcionada (sunitinibe, sorafenibe, pazopanibe, everolimo ou tensirolimo – n = 2.257; 81%) ou tratamento com citocinas (interleucina-2 ou interferon gama – n = 528; 19%) de 2007 a 2018.

Os dois grupos tinham sexo, idade e níveis socioeconômicos semelhantes. Considerando-se todos os participantes, 74% eram homens; mediana de idade de 63 anos; e 68% tinham hipertensão.

Após estabilização da probabilidade inversa de ponderação do tratamento, as taxas ajustadas de incidência de mace foram de 6,65 e 3,36 por 100 pessoas/ano nos grupos de terapia direcionada e tratamento com citocinas, respectivamente. "O maior risco cardiovascular do grupo de terapia direcionada foi composto principalmente de pacientes tratados com ITQs e anti-VEGFR", escreveram os autores.

Dois medicamentos foram associados a taxas mais altas, estatisticamente significativas, de eventos adversos cardiovasculares maiores em comparação com o medicamento de referência (sunitinibe): o ITQ/anti-VEGFR sorafenibe (RR univariada de 1,94; IC 95% de 1,11 a 3,39; P = 0,021) e o inibidor de mTOR tensirolimo (RR univariada de 2,11; IC 95% de 1,24 a 3,59; P = 0,006). O sunitinibe foi, por ampla margem, o medicamento de terapia direcionada mais utilizado.

Nos pacientes submetidos à terapia direcionada, os seguintes fatores foram associados a taxas mais altas de eventos cardiovasculares maiores: história de insuficiência cardíaca (RR de 3,88; IC 95% de 2,25 a 6,71), fibrilação atrial (RR de 3,60; IC 95% de 2,16 a 5,99), tromboembolia venosa (RR de 2,50, IC 95% de 1,27 a 4,92), AVC isquêmico (RR de 1,88; IC 95% de 1,14 a 3,11) e idade ≥ 65 anos (RR de 1,81; IC 95% de 1,27 a 2,58).

Segundo os autores, existem várias teorias sobre por que a terapia direcionada poderia aumentar o risco de eventos cardiovasculares adversos. "Os inibidores de VEGFR foram associados anteriormente à hipertensão", que é um fator de risco de morte por causa cardíaca, observaram. Além disso, "os inibidores multiquinase, incluindo os inibidores de VEGFR e os inibidores do receptor do fator de crescimento derivado de plaquetas, podem desestabilizar o endotélio microvascular coronariano e reduzir a reserva de fluxo coronariano, levando a aumento do risco de trombose e eventos isquêmicos arteriais, incluindo IAM e AVC isquêmico."

O estudo foi financiado pelo Hospital Memorial Chang Gung em Taiwan.

Este conteúdo foi originalmente publicado em MDedge.com

Siga o Medscape em português no Facebook, no Twitter e no YouTube. – Medscape Professional Network.

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....