O próximo avanço em pressão arterial: tatuagens temporárias

Natalie Sabin

Notificação

2 de agosto de 2022

À medida que os cientistas trabalham com tecnologia vestível que promete revolucionar os cuidados de saúde, os pesquisadores da University of Texas at Austin e da Texas A&M University, ambas nos Estados Unidos, relatam uma grande vitória na busca de um objetivo extremamente popular: uma solução não invasiva para monitoramento contínuo da pressão arterial em casa.

Não só isso, mas essa solução vem na surpreendente forma de uma tatuagem temporária. Isso mesmo: igual a que as crianças gostam de usar.

As tatuagens eletrônicas finas, semelhantes a adesivos, podem fornecer monitoramento contínuo e preciso da pressão arterial, relataram os pesquisadores em seu novo estudo.

As tatuagens temporárias podem ser o futuro da monitorização da pressão arterial em casa, eliminando a necessidade do esfigmomanômetro ou do manguito de pressão arterial.

As tatuagens temporárias podem ser o futuro da monitorização da pressão arterial em casa, eliminando a necessidade do esfigmomanômetro ou do manguito de pressão arterial.

"Com esta nova tecnologia, vamos ter a oportunidade de entender como a nossa pressão arterial flutua durante o dia. Seremos capazes de quantificar como o estresse está nos impactando ", disse o Dr. Roozbeh Jafari, Ph.D., professor de engenharia biomédica, engenharia elétrica e ciência da computação na Texas A&M University e coautor do estudo.

Revelando toda a imagem, não apenas partes dela

Os monitores de pressão arterial de uso domiciliar existem há muitos anos. Eles funcionam exatamente como os monitores de pressão arterial que os médicos usam no consultório: o paciente coloca o braço dentro de um manguito, pressiona um botão, sente um aperto no braço e obtém uma leitura.

Embora os resultados desse método sejam precisos, eles também são apenas um momento no tempo. Nossa pressão arterial pode variar muito ao longo do dia – especialmente entre pessoas que têm hipertensão lábil, quadro em que a pressão arterial muda de um extremo para o outro. Portanto, olhar para as leituras pontuais é um pouco como focar em alguns pontos dentro de uma pintura de pontilhismo – pode-se perder o quadro geral.

Assim que as camadas finas de grafeno capturam dados brutos, um algoritmo de aprendizado de máquina interpreta as informações e fornece resultados em mmHg, unidades usadas para medir a pressão arterial.

Os médicos também podem achar o monitoramento contínuo útil para se livrar de leituras falsas da "síndrome do jaleco branco", que basicamente significa que a pressão arterial de uma pessoa aumenta devido à ansiedade de estar em um consultório médico, mas não se trata de hipertensão arterial sistêmica verdadeira.

Resumindo, a capacidade de monitorar a pressão arterial de uma pessoa continuamente por horas ou mesmo dias pode fornecer informações mais claras e precisas sobre sua saúde.

Como funcionam as tatuagens de monitoramento de saúde?

As tatuagens eletrônicas para monitoramento da saúde não são completamente novas. O Dr. John A. Rogers, Ph.D., da Northwestern University, nos Estados Unidos, apresentou pela primeira vez a ideia de monitorar a saúde através de tatuagens temporárias há 12 anos. Alguns conceitos, como as tatuagens de monitoramento UV, já haviam sido adotados pelos cientistas e colocados no mercado. Mas os modelos existentes não eram adequados para monitorar a pressão arterial, de acordo com Dr. Deji Akinwande, Ph.D., professor de engenharia elétrica e de computação na University of Texas at Austin, outro coautor do estudo.

"Tatuagens de monitoramento UV são muito grossas", disse ele. "Elas criam muito movimento quando usadas para medir a pressão arterial porque deslizam".

Então, a equipe de pesquisa baseada no Texas trabalhou para criar uma opção que fosse mais fina e mais estável.

"O material chave nas tatuagens eletrônicas é o grafeno", disse o Dr. Deji.

Grafeno é carbono semelhante ao que está dentro de um lápis. O material é condutor, o que significa que pode conduzir pequenas correntes elétricas através da pele. Para o monitoramento da pressão arterial, o grafeno promove a análise de bioimpedância elétrica (BIA, do inglês, bioelectrical impedance analysis), que é como a tecnologia usada em escalas inteligentes que medem a gordura corporal.

Com as tatuagens eletrônicas, as camadas finas de grafeno grudam na pele e não deslizam, livrando-se de "artefatos" ou dados inadequados. As tatuagens eletrônicas de grafeno podem ser usadas na pele por cerca de uma semana, aproximadamente o mesmo tempo que as tatuagens temporárias que as crianças adoram.

Assim que as camadas finas de grafeno capturam dados brutos, um algoritmo de aprendizado de máquina interpreta as informações e fornece resultados em mmHg, unidades usadas para medir a pressão arterial.

Qual o grau de precisão dos resultados? Os testes mediram a pressão arterial dentro de 0,2 ± 5,8 mmHg (sistólica), 0,2 ± 4,5 mmHg (diastólica) e 0,1 ± 5,3 mmHg (pressão arterial média). Em outras palavras: se tais tatuagens fossem um jogador de basquete, a grande maioria dos arremessos resultaria em cestas e, ocasionalmente, alguns atingiriam o aro. Isso significa boa precisão.

Quando as tatuagens eletrônicas estarão disponíveis?

As equipes do Dr. Roozbeh e do Dr. Deji estão trabalhando em uma segunda geração de tatuagens eletrônicas, que eles esperam estar disponíveis nos próximos cinco anos.

A atualização que os pesquisadores imaginam será menor e compatível com smartwatches e telefones que usam a tecnologia Bluetooth e comunicação de campo próximo (NFC, do inglês, near-field communication) para transferir dados e fornecer energia. Com essas atualizações, as tatuagens eletrônicas para monitoramento contínuo da pressão arterial estarão prontas para ensaios clínicos e uso convencional logo depois.

De acordo com o Dr. Deji, todos podem se beneficiar de conhecer seus registros de pressão arterial, não apenas as pessoas em risco de hipertensão, mas também aquelas que queiram monitorar proativamente sua saúde quanto ao estresse e outros fatores.

FONTES:

Roozbeh Jafari, Ph.D., professor de engenharia biomédica, engenharia elétrica e ciência da computação, Texas A&M University.

Deji Akinwande, Ph.D., professor de engenharia elétrica e de computação, University of Texas at Austin.

Nature Nanotechnology: "Continuous cuffless monitoring of arterial blood pressure via graphene bioimpedance tattoos."

Siga o Medscape em português no  Facebook , no  Twitter  e no  YouTube

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....