COMENTÁRIO

Novas diretrizes da Endocrine Society para controle da hiperglicemia durante a internação: destaques e impressões

Dr. Fabiano M. Serfaty

Notificação

22 de junho de 2022

A diretriz “Management of Hyperglycemia in Hospitalized Patients in Non-Critical Care Settings: An Endocrine Society Clinical Practice Guideline” foi publicada on-line em 12 de junho no The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism (JCEM), o periódico da Endocrine Society.

O novo documento substitui as diretrizes para controle da hiperglicemia em pacientes internados publicadas em 2012, abordando áreas emergentes específicas para pacientes hospitalizados não críticos com diabetes ou hiperglicemia recém-diagnosticada e induzida por estresse.

Esta diretriz aborda e atualiza alguns padrões de atendimento para o manejo glicêmico de pacientes adultos usando uma metodologia atualizada que adere aos Padrões do Instituto de Medicina (IOM). A atualização das diretrizes de 2012 inclui a consideração do uso de dispositivos de monitoramento contínuo da glicose + verificação da glicemia no local de atendimento para pacientes com alto risco de hipoglicemia, bem como o fornecimento de educação hospitalar sobre diabetes como parte de um processo abrangente de planejamento da alta.

Além disso, novos tópicos incluem recomendações para o uso hospitalar de terapia com bomba de insulina, controle da hiperglicemia de pacientes em uso de glicocorticoides ou nutrição enteral, terapias de redução glicêmica sem insulina, metas glicêmicas pré-operatórias para pacientes submetidos a procedimentos cirúrgicos eletivos e recomendações específicas para terapia de insulina programada.

"Esta diretriz aborda vários aspectos importantes do atendimento específicos para o manejo hospitalar de pacientes não críticos com diabetes ou hiperglicemia recém-reconhecida que têm o potencial de melhorar os resultados clínicos no hospital, bem como após a alta", disse Dra. Mary Korytkowski, médica afiliada à University of Pittsburgh, nos Estados Unidos, e presidente do painel que escreveu as diretrizes.

Pontos relevantes da diretriz:

  • Os sistemas de monitoramento contínuo da glicose podem orientar o manejo glicêmico eficaz, o que reduz o risco de hipoglicemia para pacientes hospitalizados.

  • Pacientes que recebem terapia com glicocorticoides ou nutrição enteral apresentam alto risco de hiperglicemia e podem precisar de insulinoterapia durante a internação.

  • Pacientes em uso de bomba de insulina antes da admissão hospitalar podem gerenciar os próprios dispositivos, sob supervisão da equipe do hospital, se tiverem a capacidade mental e física de fazê-lo.

  • A educação de autogerenciamento do diabetes fornecida aos pacientes hospitalizados pode contribuir para a melhora do controle glicêmico após a alta, com redução do risco de readmissão hospitalar.

  • Pacientes com diabetes com uma cirurgia eletiva programada podem apresentar melhores resultados pós-operatórios se a hemoglobina glicada (HbA1c) e a glicemia forem, respectivamente, ≤ 8% e < 180 mg/dL logo antes do procedimento.

  • Não é recomendado fornecer bebidas pré-operatórias contendo carboidratos a pacientes com diabetes.

  • Desde que não haja contraindicação, determinados pacientes com diabetes tipo 2, que apresentarem hiperglicemia mais leve, podem receber inibidores da dipeptidil peptidase + insulina de correção.

A nova diretriz reitera que o manejo glicêmico durante a internação hospitalar orientado por metas melhora os desfechos clínicos dos pacientes e reduz a probabilidade de readmissão.

Siga o Medscape em português no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....