Do inglês médico ao português: side effect

Dra. Carla Vorsatz

Notificação

1 de junho de 2022

Hoje, a pré-publicação semanal de trechos inéditos do “Dicionário de dúvidas e dificuldades da tradução do inglês médico para o português”, traduzido e adaptado para o português (e contexto clínico) brasileiro pela Dra. Carla Vorsatz, fala sobre as nuanças entre efeito colateral, efeito secundário e efeito adverso.

Quadro S7 [side effect]

Efeito colateral, efeito secundário e reação adversa

Na maioria dos textos médicos e científicos em inglês, as expressões adverse effect, adverse event, adverse reaction, side effect e undesirable effect (além de muitas outras expressões menos habituais, como detrimental effect, untoward effect ou unwanted effect, e suas respectivas formas acompanhadas de reaction ou event) são utilizadas como se fossem sinônimas. As formas mais corriqueiras são side effect e adverse effect.

Algo parecido acontece em português, que tem as expressões "efeito adverso", "acontecimento adverso", "reação adversa", "efeito secundário", "efeito colateral" e "efeito indesejável", também muito utilizadas como sinônimas. As mais comuns em nosso idioma certamente são "efeito secundário", "efeito adverso", "efeito colateral" e "reação adversa".

Nos textos de farmacologia, contudo, pode ser conveniente diferenciar claramente essas expressões de acordo com seu sentido original:

1) Um efeito colateral é, na verdade, um efeito não buscado que faz parte integrante da ação farmacológica de um medicamento (p. ex., a xerostomia associada ao tratamento com anticolinérgicos). O exemplo mais emblemático de efeito colateral é o da sildenafila: ao ser estudada para o tratamento da hipertensão pulmonar, constatou-se que a substância provocava ereção nos pacientes do sexo masculino. A partir de então, após a realização dos devidos estudos de segurança e eficácia, o fármaco passou a ter dupla indicação: para o tratamento da hipertensão pulmonar e da disfunção erétil.

2) Um efeito secundário, por outro lado, é o efeito não buscado que surge como consequência da ação fundamental de um medicamento, porém que não forma parte inerente de sua ação (p. ex., a hipopotassemia que aparece no curso do tratamento com diuréticos tiazídicos). Vale ressaltar que um efeito secundário, como a sonolência, pode ser desejável em algumas situações (p. ex.: ao administrar um benzodiazepínico como miorrelaxante para um idoso que sofre de insônia).

3) Por fim, os termos reação adversa e efeito indesejável fazem referência aos efeitos não buscados que, além disso, são prejudiciais. É o caso, por exemplo, das reações de hipersensibilidade a um fármaco. A reação adversa e o efeito indesejável costumam indicar a necessidade de suspensão do medicamento.

Em geral, os termos "efeito colateral" e "efeito secundário" correspondem, ambos, ao inglês side effect (quando usado em sentido próprio), enquanto "reação adversa" e "efeito indesejável" correspondem ao inglês adverse effect (quando usado em sentido próprio).

Ver também comentários em → adverse event 2-4.

Dra. Carla Vorsatz, médica com especialização em doenças infecciosas e parasitárias, graduada e pós-graduada pela Universidade Federal Fluminense (UFF), tradutora médica e CEO da XSTZ | Medical Texts , é autora da versão brasileira do Dicionário de dúvidas e dificuldades da tradução do inglês médico (DDD). Acesse a obra: Cosnautas Recursos essenciais para tradutores e escritores médicos .

Siga o Medscape em português no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....