Esquizofrenia aumenta risco de doença inflamatória intestinal

Megan Brooks

Notificação

5 de maio de 2022

Pacientes com esquizofrenia têm maior risco de doença inflamatória intestinal em comparação com a população em geral, de acordo com um grande estudo de Taiwan que fornece mais evidências de uma conexão intestino-cérebro.

O estudo também mostra que pacientes com esquizofrenia desenvolvem doença inflamatória intestinal em uma idade mais jovem e que o risco aumenta com esquizofrenia inadequadamente controlada.

“A vigilância e a conscientização do médico sobre essa correlação melhorarão o diagnóstico e o tratamento da doença inflamatória intestinal entre essa população vulnerável de pacientes”, escrevem Kuan-Yi Sung, do Departamento de Medicina do Hospital Geral de Veteranos de Taipei, em Taiwan, e colaboradores.

O estudo foi publicado on-line no periódico Alimentary Pharmacology and Therapeutics.

Risco mais que três vezes maior

A prevalência de doença inflamatória intestinal, um distúrbio gastrointestinal crônico, está aumentando em todo o mundo, e a etiologia exata da doença permanece incerta. A esquizofrenia, um transtorno psiquiátrico crônico e grave, afeta quase 1% da população global.

Dada a crescente evidência de conexões entre o intestino e o cérebro, Kuan-Yi e colaboradores avaliaram o risco de doença inflamatória intestinal incidente em 116.164 pacientes com esquizofrenia e 464.656 controles pareados, usando o banco de dados de pesquisa de seguro de saúde nacional de Taiwan.

A incidência geral de doença inflamatória intestinal foi significativamente maior entre os pacientes com esquizofrenia em relação aos controles pareados (1,14% versus 0,25%, P < 0,001). Esse fato foi verdadeiro tanto para a colite ulcerativa (0,72% vs. 0,12%, P < 0,001) quanto para a doença de Crohn (0,42% vs. 0,13%, P < 0,001).

Os pacientes com esquizofrenia também apresentaram doença inflamatória intestinal em uma idade mais jovem do que os controles pareados (46,8 anos vs. 55,3 anos; P < 0,001).

Em análises ajustadas, os pacientes com esquizofrenia tiveram um risco mais de três vezes maior de doença inflamatória intestinal (razão de risco [RR] de 3,28; intervalo de confiança [IC] de 95% de 2,49 a 4,33). O risco de doença inflamatória intestinal foi maior tanto para colite ulcerativa (RR de 4,84; IC 95% de 3,32 a 7,07) quanto para doença de Crohn (RR de 2,08; IC 95% de 1,37 a 3,15).

Mais pacientes com esquizofrenia tiveram doença inflamatória intestinal moderada a grave em comparação com os controles (36,8% vs. 20,5%, P = 0,004).

“Curiosamente, o risco de doença inflamatória intestinal foi maior entre os pacientes com esquizofrenia mais grave, indicada por hospitalizações psiquiátricas mais frequentes”, escreveram os pesquisadores.

O risco de doença inflamatória intestinal também foi maior entre pacientes com transtornos de ansiedade, mas não entre pacientes com outras doenças autoimunes, obesidade, tabagismo, transtorno bipolar ou transtorno depressivo maior.

O uso de antipsicóticos típicos ou atípicos não teve impacto na manifestação da doença inflamatória intestinal.

s pesquisadores disseram que suas observações estão de acordo com um estudo anterior de pacientes psiquiátricos hospitalizados do norte da Finlândia, que constatou uma ocorrência excessiva significativa da doença inflamatória intestinal em pacientes com esquizofrenia.

Kuan-Yi e colaboradores disseram que o estudo fornece “a avaliação mais robusta e abrangente do risco de doença inflamatória intestinal incidente em pacientes com esquizofrenia”.

Embasamento para conexões intestino-cérebro

Convidado a comentar, o Dr. Miguel Regueiro, médico e presidente do Digestive Disease and Surgery Institute da Cleveland Clinic, nos Estados Unidos, disse: “Este é um estudo interessante e é uma evidência adicional de que pode haver uma conexão entre o cérebro e o intestino.”

“Existem outras doenças neuropsicológicas que mostraram uma associação semelhante; por exemplo, autismo, demência e depressão”, explicou o Dr. Miguel, que não participou do estudo. “A conexão cérebro-intestino pode estar inter-relacionada para essas doenças. Não entendemos bem se existe uma relação causal ou se o microbioma na doença inflamatória intestinal e essas doenças neurológicas e psiquiátricas estão conectados.

“Neste momento, não rastrearíamos todos os pacientes com esquizofrenia para doença inflamatória intestinal, mas devemos ter uma maior conscientização para considerar a doença de Crohn ou a colite ulcerativa se um paciente com esquizofrenia desenvolver sintomas gastrointestinais, como dor, perda de peso, sangramento retal ou diarreia”, aconselhou o Dr. Miguel.

O desenho retrospectivo é uma limitação do estudo, observou o médico, que disse que a pesquisa “não pode determinar completamente uma verdadeira relação de causa e efeito”.

“Além disso, a população de pacientes é de Taiwan e não sabemos se poderia ser extrapolada para outras populações”, concluiu.

O estudo recebeu apoio do Hospital Geral de Veteranos de Taipei, da Fundação Médica Yen Tjing Ling Medical Foundation e do Ministério de Ciência e Tecnologia de Taiwan. Os autores e o Dr. Miguel Regueiro informaram não ter conflitos de interesses.

Aliment Pharmacol Ther. Publicado on-line em 08 de março de 2022.  Abstract

Siga o Medscape em português no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....