Covid-19: Resumo da semana (9 a 14 de abril)

Equipe Medscape Professional Network

15 de abril de 2022

Neste artigo

Nota da editora: Veja as últimas notícias e orientações sobre a covid-19 em nosso  Centro de Informações sobre o novo coronavírus SARS-CoV-2 . 

O país somou 30.209.276 casos confirmados de covid-19 e 661.710 óbitos desde o início da pandemia. Na quarta-feira (13), a média móvel de mortes nos últimos sete dias foi de 133, a mais baixa em três meses. Em comparação à média de 14 dias, a variação foi de -38%. Quanto aos novos casos, na mesma data, foram 28.785 novos diagnósticos de covid-19 em 24 horas. A média móvel de casos nos últimos sete dias foi de 20.430, variação de -21% em relação a duas semanas atrás. Os dados são do ​consórcio de veículos de imprensa coletados criado para monitorar a pandemia. As informações são recolhidas pelo consórcio diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais. O consórcio é formado por Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e g1.

Sublinhagem BA.2 predomina no Brasil, diz ITpS

A sublinhagem Ômicron BA.2, que entrou no Brasil no fim de fevereiro, foi identificada em 69,3% das amostras de SARS-CoV-2 analisadas pelo Instituto Todos pela Saúde (ITpS) entre 3 e 9 de abril em parceria com os laboratórios privados Dasa e DB Molecular. No período, a taxa de positividade dos testes passou de 4,5% para 6,2%. O impacto da BA.2 tem sido diferente nos países: no Reino Unido houve aumento de casos e de hospitalizações e na África do Sul, não. Aspectos demográficos e de imunidade populacional podem explicar esses padrões. "É provável que, com a disseminação da BA.2 no Brasil, vejamos uma subida do número de casos, mas esperamos que ela não cause os mesmos impactos da BA.1, comportando-se de forma similar à substituição da Gama pela Delta. Precisamos aguardar e avaliar o cenário das próximas semanas", afirma o virologista Anderson Brito, pesquisador científico do ITpS responsável pela análise.

Fiocruz alerta para aumento de SRAG em crianças

Em boletim publicado nesta quarta (13), a Fiocruz informa que os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) em crianças continuam aumentando entre as crianças em diversos estados do país desde o mês de fevereiro. Nas crianças de 0 a 4 anos, os casos estão associados ao vírus sincicial respiratório (VSR), responsável pela bronquiolite, que pode levar a casos graves nesta faixa etária. No grupo de 5 a 11 anos, os episódios são principalmente de rinovírus e SARS-CoV-2. Quanto aos óbitos, a covid-19 ainda é o vírus responsável por mais mortes (83,4%), seguido por casos de VSR (7,4%) e Influenza A (1,8%).

E vai ter Carnaval? 

O Carnaval foi oficialmente adiado para os dias 20 a 23 de abril. Pesquisa feita pelo Datafolha divulgada no dia 12 revelou que somente 17% dos entrevistados no Estado de São Paulo apoiam a realização do carnaval nos dias 20 e 23; apenas 6% disseram que pretendem participar dos blocos de rua se forem liberados. No Rio de Janeiro, 26% apoiam a medida e 10% pretendem sair nos blocos.

processing....