Cannabis medicinal, álcool na pandemia e transtorno por uso de substância + transtorno bipolar: novidades na psiquiatria

Dr. Sivan Mauer

Notificação

11 de abril de 2022

Neste artigo

Dr. Sivan Mauer

Nesta seção o psiquiatra Dr. Sivan Mauer seleciona e comenta estudos relevantes no campo da psiquiatria. O Dr. Mauer é especialista em transtornos do humor. Tem residência em psiquiatria da infância e adolescência e tem experiência em psicogeriatria. É mestre em pesquisa clínica pela Boston University School of Medicine e doutor em psiquiatria pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Além da prática privada exercida em São Paulo e Curitiba, o Dr. Mauer é clinical assistant professor na Tufts University School of Medicine, Boston (EUA).

1.Cannabis medicinal no controle de dor, insônia e sintomas de transtorno afetivo em adultos

Apesar das evidências inconclusivas de sua eficácia e da escassez de informações sobre seu risco, a Cannabis medicinal aumentou em popularidade. Em dezembro de 2021, aproximadamente 12 países, incluindo Canadá, Inglaterra, Austrália, 36 estados dos Estados Unidos e o Distrito de Columbia autorizaram a comercialização de Cannabis para fins terapêuticos, tornando a substância acessível por meio de um cartão de maconha medicinal para diversos quadros clínicos.

Diante da crescente prevalência do uso de Cannabis para fins terapêuticos, faz-se necessária a realização de estudos bem elaborados para avaliar a eficácia dos produtos à base de Cannabis e os eventos adversos associados, tanto globais como psiquiátricos, particularmente o desenvolvimento do transtorno por uso de Cannabis.

Foi relatado que a Cannabis melhora a dor, o sono, a ansiedade e os sintomas depressivos, sendo comumente procurada por esses motivos. No entanto, de acordo com dados nacionais dos EUA, 3 a cada 10 adultos que usam Cannabis apresentam transtorno por uso de Cannabis e, destes, 23% desenvolvem transtorno grave – muitas vezes com tolerância ao delta-9-tetraidrocanabidiol (THC) e sintomas de abstinência. Faltam dados sobre as taxas de dependência entre adultos que usam a substância para fins terapêuticos versus para fins recreativos.

O uso de Cannabis tem sido associado a transtornos psicóticos e depressivos, mania, suicídio e comprometimento cognitivo, portanto, é imprescindível compreender melhor tanto os benefícios quanto os riscos associados ao uso de Cannabis em relação a preocupações médicas na atual regulamentação.

Foi realizado um ensaio clínico randomizado para avaliar o efeito da obtenção do cartão de maconha medicinal sobre sintomas clínicos e transtorno por uso de Cannabis alvo em adultos com queixa principal de dor crônica, insônia, ansiedade ou sintomas depressivos.

Os participantes foram randomizados para adquirir o cartão de maconha medicinal imediatamente ou entrar em uma lista de espera para a obtenção do cartão. Na análise de 12 semanas, os participantes incluídos no grupo de aquisição imediata do cartão de maconha medicinal apresentavam discreta melhora nos sintomas de dor e insônia, e piora nos sintomas de depressão e associados ao transtorno por uso de Cannabis.

No total, 186 participantes foram randomizados e incluídos nas análises (média [DP] idade 37,2 [14,4] anos; 122 de mulheres [65,6%]). Comparado com o grupo de aquisição tardia do cartão, o grupo de aquisição imediata do cartão apresentou mais sintomas de transtorno por uso de Cannabis (desvio médio [DM] de 0,28; intervalo de confiança [IC] 95% de 0,15 a 0,40); menos sintomas de insônia referidos pelo próprio paciente (DM de -2,90; IC 95% de -4,31 a -1,51); e não relataram alterações significativas na intensidade da dor, da ansiedade ou dos sintomas depressivos.

Os participantes no grupo de aquisição imediata do cartão também tiveram maior incidência de transtorno por uso de Cannabis durante a intervenção (17,1% [n = 18] versus 8,6% [n = 7]; razão de chances ajustada: 2,88; IC 95% de 1,17 a 7,07), particularmente aqueles com queixa principal de ansiedade ou sintomas depressivos.

Para lembrar:

Os autores deste ensaio clínico randomizado concluíram que a aquisição imediata do cartão de maconha medicinal levou a aumento da incidência e da gravidade do transtorno por uso de Cannabis; não resultou em melhora significativa da dor, ansiedade ou dos sintomas depressivos; e melhora dos sintomas de insônia.

É importante a compreensão de que existem alternativas mais seguras de indutores do sono. O mercado de Cannabis aumenta dia após dia, e a indústria do tabaco tem grande interesse em emplacar sua liberação e venda. Ainda, o custo do uso destas medicações é muito alto em relação aos seus benefícios.

Referência:
Gilman JM, Schuster RM, Potter KW, et al. Effect of Medical Marijuana Card Ownership on Pain, Insomnia, and Affective Disorder Symptoms in Adults A Randomized Clinical Trial. JAMA Netw Open 2022;5(3):1–14.

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....