Doença periodontal e câncer colorretal: estudo COLDENT

Sharon Worcester

Notificação

1 de março de 2022

Achados do estudo de caso-controle COLDENT sugerem que a doença periodontal possa aumentar o risco de câncer colorretal esporádico.

A taxa de novos diagnósticos de câncer entre os participantes do estudo com história de doença periodontal foi quase 50% maior do que entre aqueles sem a doença, após o ajuste para um conjunto de fatores demográficos e clínicos, disseram os pesquisadores.

Essa não é a primeira vez que a doença periodontal é relacionada com desfechos de saúde extraorais, incluindo tumores do trato gastrointestinal. Foi demonstrado que ela está associada a diversas doenças sistêmicas importantes, como distúrbios cardiovasculares, respiratórios, renais crônicos e metabólicos. As evidências também sugerem uma relação entre a doença periodontal e a doença de Alzheimer, conforme publicado recentemente no Medscape.

Entretanto, estudos anteriores que analisaram a conexão entre a doença periodontal e o câncer colorretal se basearam em análises de dados de outros estudos, e foram limitados por outras falhas metodológicas, observaram os pesquisadores, liderados pela dentista Amal Idrissi Janati, da Université de Montreal, no Canadá.

Para avaliar melhor o papel etiológico da doença periodontal no desenvolvimento do câncer colorretal, Amal e seus colegas analisaram 348 casos de câncer de cólon ou reto, confirmados histologicamente, diagnosticados de janeiro de 2013 a dezembro de 2019, e os compararam com 310 controles pareados.

A taxa de novos diagnósticos de câncer colorretal entre indivíduos com histórico de doença periodontal foi 1,4 vez maior do que entre aqueles sem histórico de doença periodontal após o ajuste para idade e sexo. Essa taxa aumentou para 1,45 vez maior após o ajuste para índice de massa corporal, escolaridade, renda, presença de diabetes, histórico familiar de câncer colorretal, uso regular de ácido acetilsalicílico ou outros anti-inflamatórios não esteroidais, carga tabágica acumulada ao longo da vida, consumo de carnes vermelhas e processadas, consumo de álcool e escore total de atividade física, relataram os pesquisadores.

Os achados foram publicados on-line em 26 janeiro no periódico Cancer Causes and Control.

"Nossos resultados apoiam a hipótese de associação entre a doença periodontal e o risco de câncer colorretal esporádico", comentaram os pesquisadores, acrescentando que são recomendados estudos epidemiológicos posteriores.

Eles especularam que o "suposto mecanismo da associação entre a doença periodontal e o câncer envolva a disseminação de patógenos periodontais para sítios extraorais, a disseminação de endotoxinas bacterianas e a liberação de substâncias inflamatórias diretamente na corrente sanguínea."

A inflamação crônica associada com a doença periodontal "promove carcinogênese através da indução de mutações genéticas, inibição da apoptose, estimulação da angiogênese, proliferação celular e alterações epigenéticas", eles acrescentaram.

O estudo COLDENT foi financiado pela Société de recherche sur le cancer. Os autores informaram não ter conflitos de interesses.

Cancer Causes Control. Publicado on-line em 26 de janeiro de 2022. Texto completo.

Sharon Worcester é uma premiada jornalista médica do MDedge News – Medscape Professional Network.

Siga o Medscape em português no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....