American Heart Association 2021 coloca o diálogo científico e a equidade na saúde no centro da discussão

Patrice Wendling

Notificação

10 de novembro de 2021

As plataformas virtuais democratizaram as reuniões científicas durante a pandemia da covid-19, mas, como qualquer outro participante de congressos lhe dirá, são as perguntas do auditório e as discussões do grupo de especialistas que muitas vezes revelam a importância e/ou os problemas de uma apresentação. É o exame cuidadoso e detalhado que faz com que a ciência reverbere, especialmente nesta era pós-factual.

As sessões científicas inteiramente virtuais da American Heart Association (AHA) 2021 procuram recriar o engajamento de uma reunião presencial oferecendo mais eventos interativos ao vivo. Os eventos variam de sete sessões de últimas novidades da ciência à conversa informal de sábado sobre as vacinas anticovídicas da Pfizer e da Moderna, e o controverso mergulho na segunda-feira nas diretrizes nos casos de precordialgia (Chest Pain guidelines) das sociedades American Heart Association e American College of Cardiology.

Para ajudar a assimilar as últimas novidades da ciência, os participantes poderão ver as suas perguntas respondidas em tempo real através do Slido, reunir-se com os pesquisadores que fizeram os ensaios clínicos e escutar os comentários ao vivo dos principais formadores de opinião depois dos eventos ao vivo. Uma função de rede também permitirá que os participantes e os apresentadores interajam ou se conheçam virtualmente.

"Neste dia e nesta época, muita gente pode ter acesso rápido à ciência, mas é a apresentação da informação, seu contexto, sua aplicabilidade na clínica e, em seguida, a análise crítica, que a maioria das pessoas quer nas sessões científicas", disse ao Medscape o diretor do comitê do programa, o Dr. Manesh R. Patel, médico da Duke University School of Medicine.

"Estamos todos ávidos por encontrar formas de interação uns com os outros para pôr as coisas em perspectiva".

Os planos de um congresso presencial híbrido em Boston foram detonados em setembro pelo aumento da variante Delta, mas o tema da reunião permaneceu: "Um Mundo. Juntos pela ciência". Os participantes poderão ter acesso a mais de 500 sessões ao vivo e sob demanda, incluindo 117 resumos orais, 286 sessões de poster, 59 posters digitais moderados e mais de uma dúzia de sessões voltadas para as estratégias de promoção da equidade na saúde.

"No ano passado, teve uma sessão presidencial e um posicionamento sobre o racismo estrutural, por isso queríamos dar o próximo passo e falar sobre as formas como as pessoas estão começando a interagir e a fazer coisas que fazem diferença", explicou o Dr. Manesh.

"Então, este ano, você verá diferentes versões desde a sessão do principal evento (Main Event), que traz algumas vinhetas de casos e uma discussão com um grupo de especialistas, até outras sessões sobre a equidade na saúde que descrevem não apenas o atendimento da covid-19, como também o controle da pressão arterial, a medicina materno-fetal e as crianças com doenças congênitas. Sempre que pudemos, tentamos introduzir a questão nas sessões e continuaremos a fazê-lo".

Últimas novidades da ciência

As sessões de últimas novidades da ciência vão começar às 09:30 h (GMT - 5 ou Eastern Time) no sábado com o AVATAR, um ensaio clínico randomizado de substituição valvar aórtica em comparação à conduta expectante nos casos de estenose aórtica grave comprovadamente assintomática durante testes de exercícios.

"Os achados desse estudo, dependendo do que forem, poderiam certamente ter grande repercussão na prática clínica, porque é um quadro muito comum entre pacientes idosos com estenose valvar aórtica que podem ser graves, mas que podem ser assintomáticos", disse o Dr. Manesh.

Logo depois, será apresentado o ensaio randomizado da Cardiothoracic Surgical Trials Network, examinando se o reparo tricúspide no momento da cirurgia da valva mitral traz alguma vantagem.

"Me parece que este é um estudo muito importante", disse Dr. Manesh "porque vai novamente influenciar o nosso modo de pensar na nossa prática clínica".

Completando a primeira sessão de últimas novidades da ciência (LBS ou late breaking Science) teremos a cirurgia RAPID CBGS, comparando a cirurgia de revascularização miocárdica precoce à tardia para os pacientes com síndrome coronariana aguda recebendo ticagrelor, e o ensaio de aprovação dos EUA VEST de um dispositivo de suporte externo já aprovado na Europa para enxertia de veia safena durante a cirurgia de revascularização do miocárdio.

A segunda sessão de últimas novidades da ciência, no sábado às 15:00 h, é dedicada à hipertensão arterial sistêmica e analisa como a pandemia da covid-19 repercutiu no controle da pressão arterial. Vai ter também um estudo sobre o controle remoto da hipertensão arterial e dos lipídios com 10.000 pacientes do Partners Healthcare System e um ensaio clínico randomizado de uma intervenção em grupo feita por médicos para o controle da pressão arterial na região rural da China.

A sessão 3 de LBS, no domingo às 08:00 h, é voltada para as arritmias atriais, começando pelo ensaio clínico CRAVE examinando o efeito do consumo da cafeína sobre a quantidade de ectopia cardíaca em 108 pacientes usando o desenho N = 1 – ensaio clínico elaborado de forma que cada participante seja o seu próprio controle fazendo parte de todos os braços do estudo de forma sequencial e aleatória – e blocos de dois dias com e dois dias sem cafeína.

"Existe a possibilidade de identificar uma resposta relacionada com dose pois você vê arritmias ao aumentar a quantidade de café que você bebe ou não para uma mesma pessoa, então acredito que isso vá ser muito discutido e vale a pena prestar atenção", disse o Dr. Manesh.

A sessão também traz o GIRAF, uma comparação dos resultados cognitivos com dabigatrana (Pradaxa) versus varfarina (Coumadin) na fibrilação atrial (FA) não valvar; o PALACS, um ensaio clínico randomizado que examina se a pericardiotomia esquerda previne a fibrilação atrial após uma cirurgia cardíaca; e o AMAZE, cujo patrocinador do estudo, AtriCure, revelou não ter sido alcançado o desfecho primário de eficácia de ausência de fibrilação atrial com o dispositivo de LARIAT para fechamento do apêndice atrial esquerdo com isolamento da veia pulmonar.

A sessão de LBS 4 (domingo às 15:30) fala sobre a saúde digital, com resultados do estudo não randomizado Fitbit Heart Study sobre notificações de fibrilação atrial de 450.000 participantes usando um adesivo de eletrocardiograma com uma única derivação. "Muitas tecnologias afirmam poder detectar coisas e devemos pedir que as pessoas façam uma avaliação criteriosa para ver se de fato o fazem. Então, nesse aspecto, acho que é um passo importante", observou o Dr. Manesh.

Também disponível tem o I-STOP-AFIB, outro estudo N = 1 utilizando aplicativos móveis e o dispositivo AliveCor para identificar deflagradores pessoais da fibrilação atrial; e o  REVeAL-HF, estudo com 4.000 pacientes que examina se os alertas eletrônicos que oferecem aos médicos informações prognósticas sobre seus pacientes com insuficiência cardíaca (IC) reduzirão o número de mortes e as hospitalizações pela doença em 30 dias.

A LBS 5 (domingo às 17:00 h) traz novas informações do EMPEROR-Preserved na insuficiência cardíaca com fração de ejeção preservada e os principais resultados do EMPULSE, também utilizando o inibidor do cotransportador 2 de sódio-glicose (SGLT2, do inglês Sodium GLucose coTransporter 2) emaglozina (Jardiance) em 530 pacientes hospitalizados por insuficiência cardíaca aguda.

A sessão também apresenta o CHIEF-HF, ensaio clínico randomizado usando tecnologias portáteis para testar se 12 semanas de outro inibidor do cotransportador 2 de sódio-glicose, a canagliflozina (Invokana), é superior ao placebo para melhorar os sintomas da insuficiência cardíaca; e o DREAM-HF, uma comparação entre o implante transendocárdico de células precursoras mesenquimais alogênicas e um comparador simulado na insuficiência cardíaca crônica em decorrência de disfunção sistólica do ventrículo esquerdo.

A LBS 6 (segunda-feira às 08:00 h) detalha a segurança e a eficácia da redução do colesterol do fármaco MK-0616, um inibidor experimental da pró-proteína convertase subtilisina/kexina tipo 9 (PCSK9).

"É apenas um ensaio de fase 2, mas há interesse em um inibidor oral da pró-proteína convertase subtilisina/kexina tipo 9, dado que os atuais são subcutâneos", disse o Dr. Manesh.

Também serão apresentados os resultados do PREPARE-IT 2, que testou icosapente etil vs. placebo em pacientes ambulatoriais com covid-19. No recém-apresentado PREPARE-IT 1, uma dose de ataque de icosapente etila não conseguiu reduzir o risco de hospitalização pela infecção por SARS-COV-2 entre as pessoas de risco.

E, por fim, a LBS 7 (às 11:00 h na segunda-feira) completa a série de “últimas novidades” com novos resultados do ASCEND, desta vez examinando o efeito do ácido acetilsalicílico na demência e no comprometimento cognitivo de pacientes com diabetes.

A seguir vem um olhar sobre a eficácia dos inibidores de P2Y12 nos pacientes hospitalizados com covid-19 no ensaio clínico adaptado ACTIV-4a, seguido dos resultados do ensaio de aprovação de fase 3 REVERSE-IT com o bentracimabe, um fragmento de antígeno recombinante de anticorpo monoclonal humano projetado para reverter a atividade antiplaquetária do ticagrelor em caso de sangramento importante ou quando há indicação de cirurgia de urgência.

Encerrando a sessão temos o AXIOMATIC-TKR, uma comparação duplo-cega da segurança e eficácia do fator XI anticoagulante JNJ-70033093 experimental oral vs. enoxaparina subcutânea (Locenox) na artroplastia total de joelho eletiva.

Para quem quer saber mais sobre ciência na American Heart Association on-line, o Resuscitation Science Symposium (Ress) vai ocorrer desta sexta-feira até domingo e a Quality of Care and Outcomes Research (QCOR) Scientific Sessions irá ter lugar na próxima segunda-feira, 15 de novembro.

Siga Patrice Wendling no Twitter: @pwendl .

Siga o Medscape em português no Facebook, no Twitter e no YouTube

processing....