Resultados preliminares positivos em novo tratamento para o Parkinson

Megan Brooks

Notificação

22 de setembro de 2021

Os resultados preliminares de um estudo que testou dois reguladores alostéricos planejados para o alvo elaborados através do sistema de análise e reconhecimento de alvos estruturais (STAR, sigla do inglês Structural Target Analysis and Recognition), GT-02287 e GT-02329, são promissores para o tratamento da doença de Gaucher e da doença de Parkinson associada ao GBA1.

"Os dados preliminares demonstram que nossos compostos STAR abrem uma nova possível abordagem para o tratamento específico da doença de Parkinson associada ao GBA1, ao orientar as formas mal dobradas da enzima GCase de volta para a forma adequada e restaurar a atividade enzimática", disse em uma declaração à imprensa o Dr. Manolo Bellotto, Ph.D., da Gain Therapeutics.

"Esta é uma animadora validação da tecnologia da nossa plataforma e uma potencial oportunidade terapêutica promissora para pacientes com essas doenças debilitantes", disse o Dr. Manolo.

O gene GBA1 codifica a glucocerebrosidase (GCase), uma enzima lisossomal. Mutações no GBA1 estão entre os mais conhecidos fatores de risco genético de doença de Parkinson e sinucleinopatias associadas.

Mutações no gene GBA1 também causam doença de Gaucher, um raro distúrbio de armazenamento lisossômico. As mutações podem levar à degradação da proteína, interrupções no direcionamento ao lisossoma e queda no desempenho da enzima na organela.

Pacientes com doença de Gaucher apresentam risco aumentado de doença de Parkinson e demência por corpos de Lewy.

"Nosso laboratório está usando células-tronco pluripotentes induzidas (iPSC, do inglês induced Pluripotent Stem Cells) provenientes de pacientes com doença de Parkinson associada ao GBA1 e doença de Gaucher para testar a eficácia das duas principais chaperonas STAR desenvolvidas pela Gain Therapeutics", disse o primeiro pesquisador do estudo, Dr. Ricardo Feldman, Ph.D., da University of Maryland School of Medicine, nos EUA.

Os estudos usando neurônios corticais e dopaminérgicos derivados de iPSC de pacientes com doença de Gaucher do tipo neuronopática indicam que esses compostos aumentam os níveis de proteína GCase, seu transporte para o lisossoma e sua atividade enzimática, observou o Dr. Ricardo.

Em neurônios dopaminérgicos, os dois compostos também diminuem os níveis de α-sinucleína-p129, "demonstrando seu potencial para tratar a doença de Parkinson associada ao GBA1", acrescentou.

"Esses dados são extremamente interessantes, pois demonstram ainda mais o potencial de GT-02287 e GT-02329, e expandem o corpo de evidências que apoiam nossa plataforma de descoberta de medicamentos de terapia de intensificação enzimática dirigida ao alvo (SEE-Tx, sigla do inglês Site-Directed Enzyme Enhancement Therapy)", disse Eric Richman, CEO da Gain.

"Esses animadores resultados são uma esperança desta abordagem corrigir disfunções na via GBA1, um alvo importante para o desenvolvimento de medicamentos para Parkinson", disse no comunicado o Dr. Marco Baptista, vice-presidente de programas de pesquisa da Michael J. Fox Foundation.

"Estamos ansiosos para ouvir mais sobre os próximos passos e avançar na avaliação destas potenciais terapias junto aos pacientes, cuja maior necessidade não atendida é um tratamento para retardar ou impedir a progressão da doença", disse Dr. Marco.

A Gain Therapeutics pretende apresentar os resultados completos do estudo de GT-02287 e GT-02329 no webinar Michael J. Fox Foundation Innovating From Drug Discovery to the Clinic: Novel Approaches to PD Therapeutic Development.

A empresa também antecipou o lançamento de estudos dos dois compostos que embasarão o uso de um novo medicamento experimental para doença de Gaucher e doença de Parkinson ainda este ano.

Siga o Medscape em português no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....