Temas mais buscados em novembro de 2020: Doença de Parkinson

Ryan Syrek

20 de novembro de 2020

A cada semana nós identificamos um termo mais buscado, procuramos descobrir o que causou a sua popularidade e fazemos um infográfico sobre uma doença ou quadro clínico relacionado. Se você tiver alguma ideia sobre o que está sendo uma tendência e por que razão, compartilhe com a gente no Twitter ou Facebook !

Da descrição de uma relação com a covid-19 até novas opções diagnósticas e terapêuticas, várias notícias recentes importantes tornaram a doença de Parkinson o tema clínico mais importante desta semana. Um artigo recente examinou os potenciais mecanismos em três pacientes relativamente jovens com covid-19 que evoluíram com parkinsonismo clínico (veja o infográfico abaixo).

Em dois dos três pacientes, os sinais e sintomas de parkinsonismo diminuíram após a administração dos tradicionais dopaminérgicos. O terceiro paciente se recuperou espontaneamente. Nos três casos, os exames de imagem do sistema nervoso central mostraram diminuição funcional no sistema dopaminérgico nigroestriatal, que costuma ser observada na doença de Parkinson. Nenhum tinha história familiar da doença, e um paciente fez submetido o teste genético – ele não era portador de nenhuma das variantes de risco.

Os autores do artigo acreditam que a covid-19 possa predispor os pacientes a evoluir com doença de Parkinson mais cedo ou mais tarde. Embora esses casos não comprovem a relação causal entre as duas doenças, os pesquisadores dizem que o potencial de sequelas neurológicas prolongadas corrobora a ideia de que a covid-19 deva ser tratada o mais agressivamente possível.

Em termos de prevenção da doença de Parkinson, um novo estudo sugere que o consumo de café está associado à diminuição do risco da doença em um subconjunto específico de pessoas. O estudo mostrou que os níveis de cafeína eram mais baixos nos pacientes com doença de Parkinson em comparação aos controles, mas essa diferença foi muito maior nos pacientes com mutação no gene da quinase 2 de repetição rica em leucina (LRRK2). Os autores sugerem que, se os resultados forem confirmados em outros estudos, tratamentos contendo cafeína podem ajudar a diminuir o aparecimento da doença nas pessoas com a mutação LRRK2.

Outro estudo investigou recentemente como as variantes genéticas podem alterar o risco de doença de Parkinson após a exposição a pesticidas. Os resultados sugerem que a probabilidade de abrir o quadro da doença está associada a exposição anterior a pesticidas ocupacionais, tanto em relação aos casos esporádicos quanto entre os pacientes com a variante GBA de risco genético de doença de Parkinson. Esta associação não foi tão forte para a variante de risco LRRK2. A exposição aos pesticidas também foi associada a declínio cognitivo, especialmente para os portadores da variante GBA, observaram os pesquisadores.

Em notícias mais encorajadoras, a doença de Parkinson pode em breve ser diagnosticada por meio de um teste cutâneo. Os pesquisadores usaram um ensaio laboratorial químico para detectar a aglutinação da proteína alfa-sinucleína, que é patognomônica da doença, em amostras de pele de autópsia. Essas amostras foram retiradas de pacientes cuja doença havia sido confirmada por patologia cerebral. O teste cutâneo mostrou alto grau de sensibilidade e especificidade para o diagnóstico da doença de Parkinson. Se os resultados atuais forem replicados em pacientes vivos, o teste cutâneo pode facilitar o diagnóstico mais rápido e a possibilidade de iniciar tratamentos preventivos que retardem a progressão da doença antes do aparecimento de sintomas graves.

Uma recente novidade no tratamento também recebeu atenção. Um estudo descobriu que um filme sublingual de apomorfina foi eficaz e em geral seguro e bem tolerado para o tratamento sob demanda de episódios de perda de controle terapêutico (off) na doença de Parkinson. Embora o filme sublingual tenha mais efeitos adversos orais do que a apresentação injetável, pode oferecer algumas vantagens em termos de sua administração durante os episódios off. Por exemplo, a nova apresentação é mais conveniente do que ter consigo uma injeção, pois vem em um pacote pequeno e aberto que contém uma tira de medicamento que o paciente coloca embaixo da língua.

Das preocupações relacionadas com a covid-19 aos novos desdobramentos da prevenção, do diagnóstico e do tratamento, várias descobertas contribuíram para que a doença de Parkinson se tornasse o tema clínico mais popular desta semana.

Leia mais informações clínicas sobre a doença de Parkinson.

Siga o Medscape em português no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....