Liam Davenport

Notificação

15 de setembro de 2020

O modo de usar a imunoterapia para tumores gastrointestinais altos e para o câncer renal, imunoterápicos direcionados a ALK- e EGFR no câncer de células não pequenas (CPCNP) e, como próxima etapa, na individualização do tratamento câncer de próstata será tema das principais apresentações no European Society of Medical Oncology (ESMO) Virtual Congress 2020 .

O congresso, como tantos outros eventos importantes, será feito on-line este ano por causa da pandemia de covid-19. Dr. John B. Haanen, Ph.D., médico do Netherlands Cancer Institute em Amsterdã, Holanda, e presidente científico desta edição do evento, disse ao Medscape que, como o congresso está sendo realizado on-line este ano, foram enviados menos resumos; no entanto, "ficamos muito felizes por ver (...) que a qualidade é muito boa".

O número de inscrições não foi o único problema que o comitê organizador teve de enfrentar para transformar o congresso da ESMO em uma reunião virtual.

Os organizadores não conseguiram encaixar os programas científicos e educacionais e, portanto, precisaram dividi-los em dois fins de semana consecutivos. Além disso, muitas sessões eram inteiramente interativas e precisaram ser adaptadas ou omitidas.

"De modo que o programa está um pouco diferente", disse Dr. John. O médico observou que "as apresentações também ficaram menores, especialmente nas sessões educacionais, porque (...) não podemos esperar que as pessoas fiquem horas atrás de telas ouvindo longas apresentações".

Dr. John acrescentou: "Isso estava fora de questão".

O diretor científico está esperançoso que o encontro virtual seja "muito emocionante".

A Dra. Solange Peters, Ph.D., médica e presidente da ESMO, que também é afiliada ao Centre Hospitalier Universitaire Vaudois em Lausanne, na Suíça, disse em uma coletiva de imprensa que foi um "sacrifício" fazer a versão on-line da ESMO 2020 e que "houve momentos muito tristes" ao decidir sobre o conteúdo.

No entanto, a mudança trouxe alguns benefícios.

A presidente do congresso disse que todas as reuniões da ESMO este ano viram "gigantescos" aumentos do número de participantes e da abrangência ou alcance geográfico de cada conferência.

"Então, de repente, você também percebe que, uma das missões da ESMO, a de transmitir educação no mundo todo, (...) provavelmente foi mais alcançada, mais bem alcançada com o formato virtual", comentou.

Simpósio presidencial

Voltando-se para o programa, Dr. John primeiro escolheu o terceiro simpósio presidencial, que será realizado na segunda-feira 21 de setembro. O simpósio irá se concentrar inteiramente nos tumores gastrointestinais altos, tanto adjuvantes como metastáticos.

Dr. John disse que, nos últimos anos, "muito pouco progresso tem sido feito" nesta área, com o tratamento sendo primariamente a quimioterapia e a quimiorradioterapia.

No entanto, as apresentações deste ano irão explorar o acréscimo da imunoterapia à quimioterapia ou como tratamento adjuvante após a conclusão do tratamento convencional da doença localizada.

Dr. John disse que os resultados serão "muito interessantes (...) e podem mudar a conduta atual", algo que "é muito importante, tanto para os médicos quanto para seus pacientes".

No sábado 19 de setembro, o primeiro simpósio presidencial contará com duas apresentações sobre câncer de pulmão que, segundo o Dr. John, oferecerão alguns "resultados novos e empolgantes que, estou certo, mudarão a conduta clínica".

Uma será sobre o ensaio clínico de fase 3 CROWN comparando o lorlatinibe ao crizotinibe para o tratamento de primeira linha dos pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas positivo para ALK.

A outra apresentará resultados sobre recorrência da doença no sistema nervoso central no ensaio clínico de fase 3 ADURA com osimertinibe como adjuvante para os pacientes com ressecção de câncer de pulmão de células não pequenas com mutação de EGFR.

A mesma sessão também verá novos dados sobre o carcinoma de células renais avançado proveniente do CheckMate 9ER, no qual o inibidor de c-Met e VEGFR2 cabozantinibe foi associado ao nivolumabe e comparado ao sunitinibe em pacientes ainda não tratados.

"No ano passado, já houve alguns resultados empolgantes da combinação do axitinibe com pembrolizumabe ou com avelumabe (...) nos casos de primeira linha da metástase do câncer de pulmão e do carcinoma de células renais claras", disse o Dr. John.

"Houve uma nítida vantagem de sobrevida em relação ao tratamento convencional, o sunitinibe", acrescentou.

Este ano, não somente serão apresentados os dados de eficácia do CheckMate 9ER, como também os resultados de qualidade de vida.

"Isso é muito importante, porque o que todos temem é que, ao acrescentar medicamentos você sempre tenha mais repercussão na qualidade de vida, e na verdade os resultados de qualidade de vida são muito empolgantes", disse.

O segundo simpósio presidencial contará com estudos sobre câncer de próstata, principalmente o ensaio clínico de fase 3 IPATential150 com abiraterona e ipatasertibe ou placebo no câncer de próstata metastático resistente à castração.

O ipatasertibe tem como alvo a proteína quinase B (ou Akt), e o Dr. John disse que "ao acrescentá-lo, digamos, ao tratamento habitual (...) a questão, é claro, será: isso vai ter melhor resultado?"

O diretor científico do congresso acredita que os resultados serão uma "ilustração muito boa" de que o controle do câncer de próstata está caminhando no sentido de um tratamento personalizado.

Junto com os simpósios presidenciais, haverá uma série de sessões de submissões de artigos sobre os últimos resultados em todos os aspectos da oncologia, como os resultados do ensaio clínico ASCENT sobre o câncer de mama triplo negativo, bem como uma sequência dedicada à covid-19.

Dr. John disse que o ESMO Virtual Congress 2020, vindo após as reuniões anuais AACR e ASCO, tem a "vantagem" de conseguir apresentar os resultados mais recentes dos pacientes tratados com quimioterapia e imunoterapia durante uma pandemia.

Isso contempla um estudo da ESMO Resilience Task Force sobre o impacto da covid-19 nos oncologistas, tanto em termos de sofrimento e esgotamento pessoal, quanto no desempenho profissional.

"Acho que isso é muito importante", disse o Dr. John, "especialmente porque a coisa toda da covid-19 ainda não acabou e todos estão se preparando para uma segunda onda no outono e inverno".

"Isso pode nos ajudar a nos dar pistas sobre como podemos nos proteger ou proteger uns aos outros para evitar o esgotamento ou outros problemas que nós, profissionais de saúde, enfrentamos neste período difícil".

Ano que vem

Para o ano que vem, Dra. Solange continua esperançosa que a reunião da ESMO 2021 ocorra em Paris, conforme planejado. A médica antecipa que, de fato, as reuniões da ESMO poderão ocorrer a partir de abril do ano que vem. Isso vai depender da ampla disponibilidade de uma vacina contra a covid-19, embora os oncologistas de alguns países talvez ainda não possam viajar.

Isso significa "provavelmente recomeçar de modo híbrido, com alguns palestrantes no local e outros não, e a mesma coisa para os participantes", disse a Dra. Solange.

A presidente do congresso de 2020 sugeriu que para que o ESMO 2021 funcione como uma reunião local, será necessário pelo menos metade ou dois terços do número de participantes originalmente previsto.

"Espero que Paris aconteça no ano que vem", disse a Dra. Solange, acrescentando que "provavelmente haverá menos participantes, tudo bem, mas ainda assim com um grande número de palestrantes e participantes".

Os autores informaram não ter conflitos de interesses relevantes. European Society for Medical Oncology (ESMO) 2018 Congress.

Siga o Medscape em português no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....