Covid-19 ligada a AVC de grandes vasos em jovens adultos

Damian McNamara

Notificação

1 de mai de 2020

Nota da editora: Veja as últimas notícias e orientações sobre a Covid-19 em nosso Centro de Informações sobre o novo coronavírus SARS-CoV-2 .

Médicos em Nova York – que ainda lidera a nação em termos de notificação de casos de Covid-19 (sigla do inglês, Coronavirus Disease 2019) – têm descrito um número significativamente maior de casos de acidente vascular cerebral (AVC) agudo de grandes vasos em adultos jovens com Covid-19.

Em um breve comunicado de casos publicado on-line em 29 de abril no periódico New England Journal of Medicine, pesquisadores liderados pelo Dr. Thomas Oxley, Ph.D., médico do Departamento de Neurocirurgia do Mont Sinai Health System, nos Estados Unidos, com o relato de cinco casos de AVC em um período de duas semanas em pacientes com Covid-19 e menos de 50 anos de idade. Isso representa um aumento de sete vezes do que seria normalmente esperado.

Os cinco pacientes eram assintomáticos ou tinham sintomas leves de Covid-19.

"Foi surpreendente saber que o vírus parece causar doença por deflagrar um processo de coagulação do sangue", disse Dr. Thomas ao Medscape.

A mensagem para os neurologistas e outros médicos é: "Estamos aprendendo que isso pode comprometer de modo desproporcionalmente maior os grandes do que os pequenos vasos em termos da apresentação do AVC", disse o médico.

A inflamação nas paredes dos vasos pode promover a formação de trombos, acrescentou Dr. Thomas. Este relato de caso vem se somar a outras pesquisas indicando este fenômeno emergente.

Recentemente, pesquisadores na Holanda descobriram uma incidência de 31% de complicações tromboembólicas – que é "excepcionalmente alta" – entre 184 pacientes internados em unidades de tratamento intensivo (UTI) com pneumonia por Covid-19.

Dr. Thomas e colaboradores sugerem também que desde o início da pandemia, menos pacientes podem estar chamando os serviços de emergência ao apresentarem sinais e sintomas de AVC. Os médicos observaram que dois dos cinco casos apresentados adiaram chamar a ambulância.

"Entendo por que as pessoas não querem deixar a casa. Me parece que as pessoas estão mais dispostas a ignorar outros sinais e sintomas, sem relação com a Covid-19, na situação que estamos vivendo", disse o autor.

Como já informado pelo Medscape, médicos de hospitais nos Estados Unidos e em outros países relataram haver uma diminuição significativa do número de pacientes com AVC desde o início da pandemia de Covid-19, sugerindo que os pacientes podem, efetivamente, estar abrindo mão do atendimento de urgência.

As observações do Dr. Thomas e colaboradores demandam maior conscientização da associação entre a Covid-19 e o AVC de grandes vasos nessa faixa etária, acrescentaram os autores.

Um dos pacientes da casuística morreu, um continua internado, dois estão fazendo reabilitação e um teve alta hospitalar em 24 de abril.

Dr. Thomas e colaboradores dedicaram o seu artigo In Memoriam ao "nosso colega e fonte de inspiração Dr. Gary Sclar, médico especialista em AVC, que sucumbiu à Covid-19 enquanto tratava os seus pacientes".

O Dr. Thomas Oxley informou não ter conflitos de interesses relevantes.

N Engl J Med. Publicação on-line prevista para 29 de abril de 2020.

Siga o Medscape em português no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....