O poder da lavagem das mãos na prevenção da Covid-19

Brenda Goodman

Notificação

15 de março de 2020

Nota da editora: Encontre as últimas notícias e orientações sobre a Covid-19 em nosso Centro de Informações sobre o novo coronavírus SARS-CoV-2.

 

O conselho mais importante dos especialistas da área da saúde para nos ajudar a ficar a salvo da Covid-19 é este: lave as mãos.

“Em última análise, são as mãos. As mãos são a conexão”, disse a Dra. Elizabeth Scott, codiretora do Center for Hygiene and Health in Home and Community da Simmons University, em Boston.

“Você pode não controlar o que toca. Você não pode controlar quem mais tocou em algo. Mas você pode cuidar das próprias mãos”, disse ela.

Lavagem das mãos – com água e sabão – é uma arma muito mais poderosa contra os germes do que muitos de imaginamos.

A Dra. Elizabeth diz que lavar as mãos funciona de duas formas: “Em primeiro lugar você está removendo fisicamente as coisas das suas mãos. Ao mesmo tempo, para certos agentes, o sabão vai realmente agir sobre eles, destruindo-os”.

Os coronavírus, como o SARS-CoV-2, que já infectou mais de 100.000 pessoas em todo o mundo,são encapsulados em um envelope lipídico – basicamente, uma camada de gordura. O sabão pode quebrar essa gordura e tornar o vírus incapaz de infectar.

A segunda coisa que o sabão faz é mecânica. Ele torna a pele escorregadia para que, com bastante fricção, possamos retirar os germes, e eles se vão com a água.

Parece bastante simples, mas a grande maioria das pessoas ainda não sabe lavar as mãos corretamente.

Um estudo de 2013, com observadores treinados que assistiram discretamente mais de 3.700 pessoas lavarem as próprias mãos, mostrou que apenas cerca de 5% delas seguiam todas as regras. Cerca de uma em cada quatro pessoas apenas molha as mãos sem usar sabão – o que os pesquisadores de higiene chamam de “splash and dash”. Cerca de uma em cada 10 pessoas simplesmente não lava as mãos depois de ir ao banheiro. A falha mais comum para a maioria é o tempo. Apenas 5% passam mais de 15 segundos lavando, esfregando e enxaguando as mãos.

A Dra. Elizabeth disse que isso não é o suficiente se você quer evitar ficar doente. Com um novo vírus à solta, os riscos são ainda maiores.

É hora de atualizar a técnica. Como?

Primeiro, abra a torneira. Não importa se a água é quente ou fria.

“Fizemos pesquisas sobre a temperatura da água, e o que descobrimos é que a temperatura realmente não importa em termos de efetividade”, disse o Dr. Donald Schaffner, que estuda microbiologia preditiva de alimentos, lavagem das mãos e contaminação cruzada na Rutgers University em New Brunswick, NJ.

Segundo, ensaboe as mãos. O sabão ajuda os germes a escorregar da pele quando você esfrega as mãos.

Se puder escolher o sabão, opte por um líquido ou gel em vez do sabão em espuma. Um estudo de 2017 que comparou sabonetes líquidos e em espuma da mesma marca mostrou que lavar com espuma não reduziu significativamente as bactérias nas mãos das pessoas que participaram do estudo, mas o sabão líquido sim.

O estudo foi pequeno e o primeiro deste tipo. Geralmente, os cientistas gostam de ver os resultados da pesquisa reproduzidos por outros pesquisadores antes deles serem aceitos como fato. Os participantes do estudo lavaram as mãos por apenas 6 segundos. Infelizmente, esse é o tempo médio que a maioria de nós gasta lavando as mãos – e é menos do que os 20 segundos recomendados pelos Centers of Disease Control and Prevention (CDC) dos Estados Unidos.

Ainda assim, os pesquisadores acham que estes resultados fazem sentido. Como a espuma é removida mais rapidamente do que o sabão em gel, é mais provável que as pessoas façam o “splash and dash” após fazer um monte de espuma.

“As pessoas tendem a lavar as mãos por um período mais curto com o sabão em espuma”, disse a Dra. Ozlem Equils, médica e presidente de uma organização sem fins lucrativos chamada MiOra.

E o sabão em barra? Vários estudos mostraram que as bactérias podem permanecer no sabão em barra enquanto ele está úmido, o que ocorre quando ele é usado com grande frequência. Mas os estudos que analisaram se isso é um problema real, mostraram que as bactérias não se transferiram para o usuário seguinte. Se a barra parecer viscosa, lave-a com água antes de ensaboar as mãos e tente guardá-la de forma que ela seque entre cada uso.

Se você estiver em um banheiro público e não houver sabão, apenas esfregar as mãos debaixo da água já faz algum bem. Um estudo de 2011 feito por pesquisadores da London School of Tropical Hygiene mostrou que lavar as mãos somente com água reduziu as bactérias nas mãos para cerca de um quarto de antes da lavagem. Lavar com água e sabão reduziu a contagem de bactérias para cerca de 8% do que antes da lavagem.

A conclusão é: faça o melhor com o que estiver disponível. Alguma coisa é melhor do que nada.

Por quanto tempo se deve esfregar as mãos? Pelo menos 20 segundos, de acordo com os CDC. Como você provavelmente já ouviu falar, é a mesma quantidade de tempo que leva para cantar “Parabéns pra você” duas vezes. Se você já se cansou dessa, o site Wash Your Lyrics gera um infográfico com a lavagem correta das mãos baseado na sua música favorita.

Preste atenção às regiões da mão que sempre são esquecidas.

Estudos em que as pessoas passaram Glo Germ nas mãos – um produto usado para ensinar como a lavar as mãos, pois ele brilha sob uma luz negra – revelaram as áreas que as pessoas mais tendem a esquecer.

“Normalmente, os pontos que as pessoas esquecem são o dorso das mãos, e a parte inferior da palma da mão. Outras áreas com alguma fluorescência no estudo foram as unhas e a área do leito ungueal, locais que as pessoas normalmente não lavam”, disse o Dr. Donald.

Isso é algo que é bom saber: a intenção conta. Dr. Donald disse que a sua pesquisa mostrou que quanto mais as pessoas tentam melhorar a lavagem das mãos – por mais tempo, esfregando mais profundamente – menor a probabilidade de espalharem alguma contaminação em uma cozinha, por exemplo.

Por fim, seque as mãos.

“Toalhas de papel realmente têm um efeito benéfico além da simples lavagem”, disse o Dr. Donald.

Isso mesmo. Esfregar as mãos com uma toalha de papel remove ainda mais germes do que apenas lavá-las. Mãos secas também têm menos probabilidade de espalhar germes do que mãos molhadas.

Quantas vezes é preciso lavar? Muitas.

Os CDC aconselham lavar as mãos:

  • Antes, durante e depois da preparação dos alimentos

  • Antes de comer

  • Antes e depois de cuidar de alguém que está doente

  • Antes e depois de tratar de um corte ou outra ferida

  • Depois de ir ao banheiro

  • Depois de trocar fraldas ou ajudar uma criança no banheiro

  • Depois de assoar o nariz, tossir ou espirrar

  • Depois de tocar em um animal, ou tocar em alimentos para animais, ou dejetos de animais

  • Depois de manusear alimentos ou petiscos para animais

  • Depois de tocar no lixo

Se não puder lavar, use um desinfetante para as mãos. Vírus com membrana lipídica, como os coronavírus, morrem com um desinfetante para as mãos à base de álcool, disse a Dra. Elizabeth. Apenas verifique se o produto contém pelo menos 62% de álcool.

Certifique-se de usar o suficiente para cobrir todas a superfície das mãos. Esfregue-o até sentir as mãos secas, o que deve levar cerca de 20 segundos.

Se você ainda tiver um pouco de pele nas mãos depois de toda essa lavagem, tente mantê-la limpa. Evite tocar em superfícies contaminadas. Use uma toalha de papel limpa para abrir as portas do banheiro. Desinfecte as superfícies sujas que você usa todos os dias, como a tela do telefone e o teclado do computador.

Siga o Medscape em português no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....