OMS: "O coronavírus é mais mortal do que a gripe, mas é possível contê-lo"

Stephanie Nebehay e Kate Kelland

Notificação

12 de março de 2020

Genebra/Londres (Reuters) — Cerca de 3,4% das pessoas com infecção confirmada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) morreram, muito acima da mortalidade da gripe sazonal, que é < 1%, mas o SARS-CoV-2 pode ser contido, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, solicitou que os países se preparem para a chegada de pacientes com o vírus aos seus hospitais, e assegurem que os profissionais de saúde estejam protegidos.

Mas os estoques globais de equipamento de proteção individual – máscaras, luvas e óculos de proteção – precisam aumentar cerca de 40%, disse Dr. Tedros, acrescentando: "Continuamos a pedir que os fabricantes aumentem a produção com urgência, a fim de atender essa demanda e assegurar o abastecimento."

Em todo o mundo, cerca de 3,4% dos pacientes registrados com SARS-CoV-2 morreram, enquanto a gripe sazonal mata em geral muito menos que 1% dos infectados, disse Dr. Tedros.

"Em suma, o SARS-CoV-2 se propaga de forma menos eficiente que a gripe, a transmissão não parece ocorrer de pessoas assintomáticas, a doença causada pelo vírus é mais grave que a gripe, ainda não há vacinas ou medicamentos e o vírus pode ser contido", disse o diretor-geral da OMS.

A imposição de restrições a viagens e o rastreamento de viajantes devem ser parte da estratégia, mas isso não é o suficiente, disse o Dr. Mike Ryan, diretor executivo do Programa da OMS para as Emergências Sanitárias.

"Os países que confiaram exclusivamente nas restrições às viagens como única intervenção de saúde pública não se saíram tão bem, porque quando aparecem casos importados eles são pegos de surpresa", disse o Dr. Mike.

As autoridades devem se concentrar nas medidas de contenção, "mas também precisam estar preparadas para a transmissão comunitária e ser capazes de refrear a propagação da doença".

Dr. Tedros disse que conversou com Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), sobre as Olimpíadas de Tóquio 2020, prevista para começar em julho.

"O que acordamos foi que estamos acompanhando a situação e, a seguir, naturalmente, conversaremos com o governo do Japão, se houver necessidade de qualquer tipo de medida, então a gente pode discutir com o governo japonês.

"Eu acho que decidir agora pode ser muito precoce, seria bom monitorar a situação", disse o Dr. Tedros.

Na semana passada o COI incentivou os atletas a se prepararem a "pleno vapor", apesar da ameaça do coronavírus.

Indagado sobre o crescimento do surto no Irã, Dr. Mike disse que as autoridades enfrentaram problemas com suprimentos, equipamento de proteção e "o tratamento intensivo dos pacientes muito graves". Uma equipe da OMS chegou ao país no dia 02 de março.

Reuters Health Information © 2020

Siga o Medscape em português no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....