Teste rápido: Deficiências nutricionais comuns

Dr. Khardori Romesh, Ph.D

Notificação

18 de março de 2019

A hipocalcemia aguda pode causar síncope, insuficiência cardíaca congestiva e angina decorrentes de vários efeitos cardiovasculares. Também podem ocorrer sinais e sintomas neuromusculares e neurológicos. Os sinais e sintomas são:

  • Dormência e parestesia circumoral ou nos quirodáctilos e pododáctilos

  • Câimbras musculares, principalmente no dorso e membros inferiores; podendo evoluir para espasmo carpopedal (tetania)

  • Sibilos; podem ser decorrentes de broncoespasmo

  • Disfagia

  • Alterações da voz (por laringoespasmo)

Os sinais e sintomas neurológicos da hipocalcemia são:

  • Irritabilidade, comprometimento da capacidade intelectual, depressão, e mudanças de personalidade

  • Fadiga

  • Convulsões (p. ex., grand mal, petit mal e focal)

  • Outros movimentos descontrolados

Em ordem de frequência, a hipocalcemia ocorre nos seguintes casos:

  • Insuficiência renal aguda e crônica

  • Deficiência de vitamina D

  • Deficiência de magnésio

  • Pancreatite aguda

  • Hipoparatireoidismo e pseudo-hipoparatireoidismo

  • Infusão de fosfato, citrato de cálcio ou correção do cálcio pela albumina

A dosagem do cálcio ionizado é o método definitivo para o diagnóstico da hipocalcemia. Níveis séricos de cálcio < 8,5 mg/dL ou de cálcio ionizado < 18 mg/dL, são considerados hipocalcemia. O nível de paratormônio também deve ser dosado o mais cedo possível. Este teste é um radioimunoensaio mediado por anticorpos. Níveis baixos a normais de paratormônio são observados nos pacientes com hipoparatireoidismo hereditário ou adquirido, e nos pacientes com hipomagnesemia grave. Pacientes com paratormônio ineficaz têm aumento dos níveis do hormônio. O aumento do paratormônio é resultado da hipocalcemia.

O tratamento da hipocalcemia crônica depende da causa do distúrbio. Pacientes com hipoparatireoidismo e pseudo-hipoparatireoidismo podem ser tratados inicialmente por via oral com suplementos de cálcio. Os efeitos hipercalcêmicos dos diuréticos tiazídicos podem oferecer alguns benefícios adicionais. Nos pacientes com hipoparatireoidismo grave, pode ser necessário o tratamento com vitamina D; no entanto, lembre-se que a deficiência de PTH prejudica a conversão da vitamina D em calcitriol. Portanto, o tratamento mais eficaz é pelo acréscimo de 0,5 a 2,0 µg de calcitriol ou 1-alfa-hidroxivitamina D3. A paratireoidectomia (subtotal ou total) pode ser indicada para alguns pacientes com hiperparatireoidismo secundário grave e osteodistrofia renal.

Leia mais sobre a hipocalcemia.

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....