Teste rápido: Deficiências nutricionais comuns

Dr. Khardori Romesh, Ph.D

Notificação

18 de março de 2019

A reposição prolongada por meio de alimentos contendo iodo, nos níveis recomendados, pode diminuir o tamanho do bócio carencial em crianças muito pequenas e nas gestantes, sendo indicada para todos os pacientes com deficiência de iodo. Em geral, o bócio de longa duração associado ao distúrbio de deficiência de iodo diminui muito pouco após a suplementação de iodo e os pacientes têm risco de fazer hipertireoidismo. Os pacientes não precisam de nenhum tratamento de rotina específico, a menos que o bócio seja suficientemente grande a ponto de causar sintomas de compressão (p. ex., obstrução da traqueia, oclusão de entrada do tórax ou rouquidão).

A ingestão de iodo alimentar normal é de 100 a 150 µg/dia. As recomendações diárias do US Institute of Medicine de iodo nos alimentos são:

  • Adultos e adolescentes: 150 µg/dia

  • Gestantes: 220 µg/dia

  • Lactantes: 290 µg/dia

  • Crianças entre 1 e 11 anos de idade: 90 a 120 µg/dia

  • Lactentes: o consumo adequado é de 110 a 130 µg/dia

As recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) são semelhantes para adultos e adolescentes, mas variam para lactentes, crianças, gestantes e lactantes, como a seguir:

  • Gestantes e lactantes: 250 µg/dia

  • Crianças entre 6 e 12 anos de idade: 120 µg/dia

  • Crianças até 6 anos: 90 µg/dia

O primeiro sinal de deficiência de iodo é o aumento difuso da tireoide, que se torna multinodular com o passar do tempo. Nos pacientes com hipotireoidismo grave por deficiência de iodo, pode-se ver sinais como xerodermia, edema periorbital e retardo na fase de relaxamento dos reflexos tendinosos profundos.

A concentração urinária de iodo não é uma medida confiável para avaliar os níveis de iodo de uma pessoa devido à grande variação da ingestão de iodo na alimentação diária. Foi estimado serem necessários 10 exames aleatórios de urina ou a dosagem em urina de 24 horas para determinar os níveis de iodo de uma pessoa com 20% de acurácia. Por isso, o melhor teste diagnóstico para identificar a deficiência de iodo na população é a mediana dosagem de iodo em urina de 24 horas.

Caso não possa ser feita a dosagem em urina de 24 horas, usar então a razão entre os níveis de iodo e creatinina. Neste caso, a mediana de 50 a 100 µg/L de iodo é compatível com leve deficiência de iodo, de 20 a 49 µg/L de iodo é compatível com deficiência moderada e < 20 µg/L de iodo é compatível com deficiência grave.

Leia mais sobre a deficiência de iodo.

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....