COMENTÁRIO

Clube de Revista: aspectos de imagem do acometimento neurológico do vírus Zika

Dra. Aline Serfaty

Notificação

25 de janeiro de 2019

Neste artigo

Dra. Aline Serfaty

Neste clube de revista, são revisados três artigos. Um deles fala dos aspectos de imagem do acometimento neurológico do vírus Zika, além da microcefalia. Outro compara as características dos pacientes com achados incidentais indeterminados ou suspeitos para neoplasia, que realizaram acompanhamento versus aqueles que se abstiveram, a fim de entender melhor as causas que contribuíram para a realização dos exames. O último artigo faz uma revisão das várias patologias que apresentam acometimento torácico e musculoesquelético concomitante, separando-as em quatro categorias patológicas distintas: idiopática, colágeno vascular, depósito e doenças congênitas.

1. Achados de neuroimagem das complicações neurológicas associadas ao vírus Zika em adultos

No final de 2015, foram descritos no Brasil os primeiros casos suspeitos de distúrbios neurológicos associados ao vírus Zika. Nesta época, foram realizados vários estudos para entender a fisiopatologia da doença e suas complicações. O objetivo deste trabalho foi revisar e descrever os achados de neuroimagem observados nesta infecção, bem como suas complicações neurológicas em adultos.

Além de sua associação bem estabelecida com a microcefalia em recém-nascidos, foi sugerido que a infecção pelo vírus Zika também possa desencadear outras complicações neurológicas graves em adultos, como a síndrome de Guillain-Barré (SGB), a radiculomielite e a meningoencefalite.

A síndrome de Guillain-Barré é uma polineuropatia aguda que compromete principalmente os nervos periféricos e, frequentemente, após infecção prévia. Vários relatos descreveram uma provável associação temporal entre o aumento exponencial do número de casos desta doença e a infecção pelo Zika em áreas de surtos recentes. A ressonância magnética (RM) é realizada principalmente para descartar outros quadros clínicos que cursam com paralisia flácida aguda. Os achados na RM são semelhantes àqueles descritos na síndrome de Guillain-Barré clássica, e o realce da raiz nervosa da cauda equina é frequentemente visto nas sequências após o contraste. O comprometimento das raízes nervosas posteriores também costuma ser observado.

Outras doenças neurológicas como a mielite, a meningoencefalite e a encefalomielite disseminada aguda também podem ter associação com o vírus Zika e os achados na RM são pormenorizados neste artigo.

Para lembrar:
Além das inúmeras anomalias congênitas descritas anteriormente, o vírus Zika pode também estar associado a maior incidência de diversas síndromes neurológicas potencialmente fatais. No entanto, atualmente, nenhum achado específico de neuroimagem por RM pode ser relacionado com esta infecção viral. Além disso, algumas alterações são muito semelhantes às observadas em outras infecções por flavivírus. Entretanto, a associação das informações clínicas à neuroimagem pode ser usada para sugerir a possibilidade de infecção por este vírus, especialmente nas regiões endêmicas.

Referência:
Hygino da Cruz, L., Nascimento, O., Lopes, F., & da Silva, I. (2018). Neuroimaging Findings of Zika Virus–Associated Neurologic Complications in Adults. American Journal Of Neuroradiology, 39(11), 1967-1974. doi: 10.3174/ajnr.a5649

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....