COMENTÁRIO

Artrite reumatoide em exames de imagem

Dra. Aline Serfaty

Notificação

25 de janeiro de 2018

Olá, pessoal! Meu nome é Aline Serfaty. Sou médica radiologista e hoje eu estou aqui para o Medscape em português para falar um pouco sobre artrite reumatoide, que é uma das principais artrites inflamatórias. Artrite reumatoide é uma doença inflamatória crônica que afeta pacientes de ambos sexos e de todas as idades. No entanto, ela mais comum em mulheres de 30 a 60 anos.

Os marcadores sorológicos, como o fator reumatoide encontrado em cerca de 70% a 80% dos pacientes, e o anticorpo Anti-CCP, são indicadores importantes dessa doença. O quadro clínico é bastante variado. As articulações sinoviais do esqueleto apendicular e axial são acometidas de forma insidiosa, podendo chegar a estágios mais graves com deformidade. O paciente costuma apresentar dor articular e rigidez, principalmente matinal. As principais articulações acometidas são as do punho, as metacarpo-falangeanas, as interfalangeanas das mãos, o joelho, o ombro, o cotovelo, o quadril e as metatarso-falangeanas e interfalangeanas dos pés. No esqueleto axial a coluna cervical é o segmento mais acometido. Na artrite reumatoide ocorre inflamação nos tecidos que fazem parte da articulação, assim como as bainhas, bursas e inserções tendíneas e ligamentares. Com a evolução deste processo pode haver a formação de panos, que é proliferação inflamatória da membrana sinovial. Essas alterações podem apresentar comprometimento sistêmico, e estão fortemente relacionadas a desordens imunológicas. As radiografias são tipicamente os primeiros exames de imagens solicitados para esses pacientes. As principais características radiográficas da artrite reumatoide são a rarefação óssea periarticular, o estreitamento simétrico do espaço articular, erosões ósseas e edema dos tecidos moles. Devido à natureza crônica da inflamação, achados adicionais como a subluxação articular e os cistos subcondrais também podem ser observados.

Neste primeiro caso que eu coloco agora no vídeo para vocês, pode se ver na radiografia da mão desse paciente com artrite reumatoide a rarefação óssea periarticular. Nesta outra radiografia das mãos de uma paciente com artrite reumatoide observam-se alterações em um estágio mais avançado da doença. As setas amarelas apontam para a redução do espaço articular radioulnar, radiocarpal e ulnocarpal associados a erosões ósseas. Essas alterações também são observadas nas metacarpo-falageanas, onde são vistas também subluxações, destacadas pelas setas vermelhas. A seta laranja mostra o desvio ulnar dessas articulações. Notem que o acometimento é predominantemente proximal, bilateral e simétrico, que são características dessa doença.

Neste outro caso de uma paciente do sexo feminino com 46 anos, apresentando rigidez matinal, deformidade dos dedos, e fator reumatoide positivo, é possível observar nessa radiografia da mão a deformidade boutonniè re, que é a flexão na articulação interfalageana proximal e hiperextensão na articulação interfalageana digital. Além disso, há também importante acometimento dos ossos do carpo. Neste outro caso de uma paciente do sexo feminino com 26 anos apresentando dor articular, a tomografia computadorizada mostra redução dos espaços articulares e erosões no rádio digital e ossos do carpo. A tomografia é o método de imagem mais sensível para detecção de erosões ósseas.

Neste último caso, de um paciente do sexo masculino, com 40 anos e queixa de dor no punho, a radiografia não evidenciou alterações significativas. Foi solicitado então ressonância magnética que mostrou uma série de alterações, entre elas espessamento sinovial difuso destacado pelas setas amarelas. Observa-se também edema difuso na medula ósseas dos ossos do carpo, também destacado em amarelo e para comparação eu coloquei a seta vermelha apontando para a medula óssea do primeiro metacarpo, onde não há edema.

Bem, o desenvolvimento de drogas capazes de reduzir e até mesmo frear o curso da doença, modificando assim seu prognóstico, o diagnóstico precoce da artrite reumatoide tornou-se essencial antes que as lesões articulares destrutivas se desenvolvam. O edema na medula óssea visto na ressonância magnética pode ser considerado uma lesão pré-erosiva, e costuma ser visualizado cerca de dois anos antes das erosões na radiografia convencional.

A tomografia computadorizada é considerada o melhor método para detecção de lesões ósseas, sendo mais sensível do que radiografia convencional, graças à sua melhor resolução espacial. Claro, deve-se levar em consideração a quantidade de radiação.

Bem, era isso que eu tinha para falar para vocês, e hoje ficamos por aqui. Até a próxima.

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....