Teste: avalie seus conhecimentos sobre os principais aspectos diagnósticos e terapêuticos da úlcera péptica

Dr. Jamie Shalkow

Notificação

6 de julho de 2017

Apesar de inicialmente esta ideia ter sido controversa, atualmente, a maioria das evidências confirma que o Helicobacter pylori e os anti-inflamatórios não esteroides estão associados à úlcera péptica. Uma meta-análise revelou que a erradicação do Helicobacter pylori de pacientes que nunca usaram anti-inflamatórios não esteroides, antes do início dos anti-inflamatórios não esteroides, foi associada a diminuição dos casos de úlcera péptica.

As evidências de que o uso do tabaco é um fator de risco de úlcera duodenal não são conclusivas. O embasamento do papel patogênico do tabagismo advém da descoberta de que fumar pode acelerar o esvaziamento gástrico e diminuir a produção pancreática de bicarbonato. No entanto, estudos revelaram dados contraditórios. O etanol é conhecido por causar irritação da mucosa gástrica e gastrite inespecífica. As evidências de que o consumo de álcool seja um fator de risco de úlcera duodenal tampouco são conclusivas. Um estudo prospectivo com mais de 47.000 homens com úlcera duodenal não encontrou associação entre o consumo de álcool e a úlcera duodenal. Poucas evidências sugerem que a ingestão de cafeína esteja associada a aumento do risco de úlcera duodenal.

Mudanças de estação e temperaturas extremas também podem atingir e danificar a mucosa gástrica, assim como comprometer a função de barreira dela. Yuan e colaboradores observaram que, quando a temperatura é extremamente baixa, a proteína de choque térmico 70 tem expressão significativamente menor, bem como diminuição da espessura da mucosa no antro gástrico dos pacientes com úlcera péptica com alto risco de sangramento, em comparação àqueles com baixo risco de sangramento.

Mais de 20% dos pacientes têm história familiar de úlcera duodenal. Além disso, foram observadas fracas associações entre as úlceras duodenais e o tipo sanguíneo O. E sabe-se que os pacientes que não secretam antígenos ABO na saliva ou no suco gástrico apresentam maior risco. O motivo desta aparente associação genética ainda não foi esclarecido.

Embora menos comuns, outros fatores de risco de úlcera duodenal são: síndrome de Zollinger-Ellison; história de cirurgia gástrica; uso de crack, cocaína e metanfetamina; uso de esteroides e de outros medicamentos; agentes infecciosos; e úlceras de estresse nos pacientes com doenças graves.

Para mais informações sobre a etiologia da úlcera péptica, clique aqui.

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....