Dados que modificam a prática médica são destaque no ESMO 2016

Liam Davenport

Notificação

10 de outubro de 2016

COPENHAGUE, Dinamarca – Estudos avaliando os medicamentos mais recentes para o tratamento de alguns dos tumores mais difíceis de tratar, e os desafios atuais de saúde pública no acesso dos pacientes às terapias são dois dos temas principais sendo discutidos no congresso da European Society of Medical Oncology (ESMO).

Realizado de 07 a 11 de outubro em Copenhague, o congresso é o maior encontro de oncologia da Europa, segundo os organizadores. Foram, ao todo, 1600 resumos aprovados, dos quais 50 relataram os achados dos últimos ensaios clínicos. Tudo como parte da programação que cobre todas as áreas da oncologia, de ciência básica a atividades clínicas e de saúde pública.

Segundo o Dr. Andrés Cervantes, professor de medicina da University of Valencia, Espanha, e presidente do Comitê Científico da ESMO de 2016, foram muitos estudos divulgados no encontro previstos para terem impacto na prática clínica, o que levou os organizadores a realizar não uma, mas três sessões presidenciais.

O primeiro simpósio presidencial ocorreu no sábado (08) e discutiu três resumos que apresentam novos agentes de pesquisa. O primeiro discutiu os resultados do estudo MONALEESA-2, que avaliou o agente experimental inibidor CDK 4/6 ribociclibe (anteriormente LEE011, Novartis) usado com letrozol (Femara, Novartis) em mulheres na pós-menopausa com receptores hormonais positivos, câncer de mama HER2-negativo avançado. Na mesma sessão, foram apresentados os resultados de um estudo randomizado sobre o uso de um novo inibidor PARP (poli-ADP-ribose polimerase) niraparibe, que está em desenvolvimento pela Tesaro, em pacientes com câncer de ovário sensível a platina.

Na mesma sessão será discutido um artigo sobre o papel do ipilimumabe (Yervoy, Bristol-Myers Squibb) como terapia adjuvante para o melanoma fase 3, com linfonodos positivos. Este estudo avalia se a imunoterapia pode prevenir a recorrência após ressecção completa do melanoma estágio 3 de alto risco.

No domingo (09), o segundo simpósio presidencial apresentou dados sobre os desfechos relatados pelo paciente de um estudo randomizado comparando o nivolumabe (Opdivo, Bristol-Myers Squibb) com a escolha de tratamento do pesquisador em pacientes com tumores de cabeça e pescoço metastáticos. Em seguida, teve lugar um grupo de resumos sobre o papel de anticorpos contra o ligante de morte celular programada PD-L1 no tratamento tanto de primeira quanto de segunda linha do câncer de pulmão não-pequenas células avançado e como essas imunoterapias se comparam à quimioterapia.

A eficácia no contexto de primeira linha foi relatada a partir do estudo KEYNOTE-024 com pembrolizumabe (Keytruda, Merck & Co) e do estudo CheckMate 026 com nivolumabe, enquanto a eficácia no contexto de segunda linha sfoi relatada em um estudo estudo fase 3 que usou atezolizumabe (Tecentriq, Roche).

O Dr. Cervantes explicou: "Este grupo de resumos lida com o papel dos anticorpos anti-PD-L1 como ​​primeira e segunda linha em comparação com a quimioterapia convencional no câncer de pulmão de pequenas células avançado. Assim, isso atrai muito interesse porque está é uma das dúvidas que temos neste momento".

O terceiro e último simpósio presidencial, realizado nesta segunda-feira (10) começa com uma análise preliminar de um estudo randomizado prospectivo da quimioterapia neoadjuvante em sarcomas de partes moles (STSs) de alto risco localizados em adultos. Este estudo comparou uma quimioterapia neoadjuvante padrão com epirubicina mais ifosfamida com uma quimioterapia histologia-dirigida (isto é, uma quimioterapia adaptada para a histologia específica dentro da família de STS em adultos).

Em seguida, serão apresentados os dados finais do ensaio clínico de fase 3 AFFINITY, que avaliou se adicionar o agente experimental custirsen (OncoGenex Technologies) à combinação de cabazitaxel/prednisona aumenta a eficácia em homens com câncer de próstata metastático previamente tratados e resistentes à castração.

"Também temos dois ensaios importantes sobre carcinoma de células renais", disse o Dr. Cervantes. O primeiro é um estudo randomizado comparando cabozantinibe [Carbometyx, Exelixis] com sunitinibe [Sutent, Pfizer] em pacientes com carcinoma de células renais metastático.

"O segundo também é muito interessante. Esta é a primeira vez que será relatado um estudo em pacientes com câncer renal que receberam um agente-alvo, sunitinibe, como tratamento adjuvante para o carcinoma de células renais de alto risco após a nefrectomia".

O Dr. Cervantes acredita que encontros como o ESMO 2016 são particularmente importantes em um momento em que, como previamente relatado pelo Medscape, o câncer é agora responsável por mais mortes que a doença cardiovascular em 12 países europeus.

"Além da ciência clínica, temos algumas outras questões na Europa. Por exemplo, estamos preocupados com o acesso de todos os cidadãos às novas drogas", disse ele. "Então, teremos várias sessões para discutir as principais questões e como ter a melhor abordagem para este problema".

Ele acrescentou: "Também temos uma linha de saúde pública para discutir não só novas terapias, mas como a estrutura e a organização da atenção à saúde relacionada ao câncer pode ser melhorada na Europa. Para nós, este também é um tema muito importante".

Congresso da European Society for Medical Oncology (ESMO). Website do congresso.

 

Comente

3090D553-9492-4563-8681-AD288FA52ACE
Comentários são moderados. Veja os nossos Termos de Uso

processing....